Reforços no SP: detalhes por volante, estreia de uruguaio e prazo estendido

A diretoria do São Paulo, que trabalhava com o pensamento de reformulação rápida do elenco, para que um novo time se formasse até as primeiras rodadas do Paulistão, prolongou o prazo interno para remontar o plantel. O discurso adotado por dirigentes agora é de que a composição da equipe será feita até o fim de março, quando se encerra o período de inscrição de jogadores. Após fechar com o lateral direito Luis Ricardo – ainda no fim de 2013 – e contratar por empréstimo o uruguaio Álvaro Pereira, da Inter de Milão (ITA), o clube espera fechar com o volante Souza, do Grêmio, e busca atacantes.

A negociação com Souza não é simples e, segundo dirigentes, caminha para um desfecho positivo apesar da lenta evolução. A explicação é que as diversas partes envolvidas fazem com que o acordo tenha de passar por diversas mãos. O São Paulo entrega 50% dos direitos econômicos do zagueiro Rhodolfo, além de valor financeiro reduzido, por 50% de Souza. A outra metade do defensor é de propriedade do Atlético-PR, enquanto Souza tem seus outros 50% divididos igualmente entre o Porto (POR) – seu clube anterior – e o empresário Carlos Leite. A divisão completa causa a demora. Com o jogador, o São Paulo já tem tudo acertado e confia que em breve possa anunciá-lo.
A grande dificuldade é encontrar reforços para o setor ofensivo. Nesta quarta-feira Muricy Ramalho deu a demonstração do quanto é necessário contratar atacantes. Escalou o time com Ademilson, Osvaldo e Luis Fabiano. Estes três são os únicos jogadores ofensivos do elenco. Além deles, o meia Marcelo Cañete pode ser utilizado na ponta. A carência é tão grande que os jovens Gabriel Boschilia e Ewandro ganharam chances ao saírem do banco de reservas e estrearem pelos profissionais nesta quarta, dois dias após deixarem a base.
O São Paulo diz ter esgotado as possibilidades de contratação de atacantes no Brasil e olha para o mercado estrangeiro. Nesta quarta-feira o site do jornal espanhol Super Deporte publicou que o atacante colombiano Dorlan Pabon, do Valencia, de 25 anos, pode ser negociado com o São Paulo. A diretoria não confirma, mas também não desmente a informação.
O prolongamento do prazo nos planos do São Paulo acontece pelas poucas opções de mercado. A diretoria não vê opções viáveis para contratar e diz que não quer fazer grandes investimentos financeiros para não comprometer o caixa.
Alternativa que seria fácil para o São Paulo é Ricardo Oliveira, que aos 33 anos rescindiu com o Al Jazira e procurou o clube no qual teve duas passagens, em 2006 e 2010, para voltar. O presidente Juvenal Juvêncio não quis, no entanto, avançar na negociação. O argumento é que os salários elevados de Oliveira não justificam o investimento, uma vez que ele disputaria uma única vaga com Luis Fabiano, que já recebe vencimentos expressivos.
Lateral esquerdo, o uruguaio Álvaro Pereira pode jogar também como ponta esquerda, no setor ofensivo. O jogador conseguiu o visto de trabalho em seu país, esteve nesta quarta no Morumbi para assistir à goleada sobre o Mogi Mirim, e poderá estrear no domingo, contra o Oeste, em casa, se não houver imprevistos. Ele deve ter a documentação regularizada até sexta-feira, na CBF. A tendência é que fique no banco de reservas na próxima rodada do Paulistão, antes de ter uma chance como titular.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*