Recuado e empenhado, Maicon admite conquista de espaço no Tricolor

Titular na partida atrasada contra o São Caetano, Maicon voltou ao banco de reservas em função da sequência da Copa Libertadores, mas recuperou espaço nas duas últimas rodadas do Campeonato Paulista – vitórias contra São Bernardo e Bragantino. Atuando de forma mais recuada, como segundo volante, o camisa 18 reconhece que tem conquistado espaço sob o comando de Ney Franco, mas ainda prefere manter os pés no chão e aprimorar essa qualidade.

“Acho que dá para continuar (jogando em outra função). Nos treinamentos e nos jogos dá para se dedicar sempre um pouco mais. Com o Jadson e o Ganso, que são jogadores mais de armação, eu, o Denílson e oWellington têm que ajudar na marcação para a bola poder chegar na frente”, aponta Maicon, sem cortar nenhum dos concorrentes pela vaga no meio-campo. Em 2013, mesmo com as constantes variações táticas e mudanças de peças, Ney Franco ainda não escalou o time com apenas um atacante.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Maicon ‘reestreou’ contra o São Bernardo e parte para o terceiro jogo seguido nesta quarta, contra o Paulista

Contratado pelo Tricolor no início de 2012, Maicon só se tornou titular absoluto sob o comando de Ney Franco, já no segundo semestre. As chances só diminuíram quando Wellington se reabilitou completamente de cirurgia no joelho esquerdo e reassumiu espaço no time titular. O meio-campista viveu seu grande momento na última partida da temporada, quando marcou dois gols no clássico diante do Corinthians, quando o São Paulo atuou apenas com reservas.

“O empenho de todo mundo, ajudando a marcar, isso que faz o time evoluir. A vontade do jogador, seu empenho dentro de campo, todo mundo marcando e ajudando. Claro que uma vez ou outra tenho dificuldades, mas vamos aprimorando e jogando melhor, sempre”, resume Maicon, que tem tido oportunidades como segundo volante, posição à qual já estava acostumado a jogar enquanto ainda vestia camisa do Figueirense. Antes de chegar ao Tricolor, o meia de 27 anos foi um dos destaques da campanha do sétimo lugar no Brasileirão do clube catarinense, então comandado por Jorginho – agora no Flamengo.

“É uma posição que gosto de jogar. Eu só não jogo de primeiro volante, porque tem que dar combate toda hora. Joguei aqui de segundo volante, no Figueirense também. É questão de ter empenho e vontade, que você consegue”, explica Maicon, convencendo pela auto-ajuda, mas explicando suas verdadeiras funções em campo e cobrando sequência de jogos: “Tenho que marcar e fazer com que a bola chegue bem neles para armar e finalizar. Eu vou crescer, vou ajudar mais, porque estou com vontade, tenho confiança do treinador e dos companheiros. É questão de sequência de jogos”.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*