Recorde e adeus? Ceni supera Pelé em seu possível último jogo no Morumbi

Do mais saudosista e fanático até o torcedor comum, o são-paulino guarda na memória a imagem de Rogério Ceni erguendo troféus, marcando gols, fazendo belas e difíceis defesas e vibrando como cada tricolor na arquibancada do Morumbi. E neste domingo, o goleiro, que supera uma marca histórica, pode dar os últimos passos no gramado do estádio como atleta do clube.

Diante do Botafogo, às 19h30 (horário de Brasília), pela 36 rodada do Brasileiro (com transmissão em tempo real pelo L!Net) Ceni ultrapassará Pelé e se tornará o jogador que mais vezes atuou por uma equipe brasileira. Ele chegará à marca de 1.117, sendo 1.112 como titular.

Ao mesmo tempo da festa, a saudade deve estar contemplada no olhar do goleiro ao ver o Morumbi cheio para exaltá-lo no que pode ser o “adeus” ao estádio, pois o camisa 1 ainda não definiu se vai se aposentar ao final deste ano. O São Paulo perdeu um mando de campo por causa da confusão no jogo contra o Corinthians, dia 13 de outubro, e não atuará no Morumbi neste Nacional.

Pela Sul-Americana, precisa passar pela Ponte Preta para atuar neste ano no local. Na ida, 3 a 1 para a Macaca. Agora, para conseguir a classificação, o Tricolor precisa vencer por três gols de diferença ou dois, caso faça no mínimo quatro. Se fizer o resultado da ida, decisão nos pênaltis.

Para homenagear o maior ídolo de sua história, o São Paulo prepara ações que serão feitas no duelo diante do Botafogo (veja mais abaixo).

– Fico contente de poder ter feito uma carreira em um clube como o São Paulo, grande, porque não é qualquer time. Você não vai atrás dos recordes, porque eles vão acontecendo naturalmente – declarou Rogério Ceni, ao site oficial do clube.

Dos 1.116 jogos até aqui, 539 foram realizados no Morumbi. O primeiro, em uma vitória diante do Bahia, por 2 a 0, no dia 18 de setembro de 1993.

Aos 40 anos de idade, Ceni ouve declarações para que renove. E quis o destino que, no dia de superar o recorde de Pelé, Ceni também pode pôr um ponto final como atleta no local. O são-paulino torce para que não…

Festa para Ceni
Fogos de artifício
A entrada do goleiro será precedida por uma queima de fogos de artifício.

Placar eletrônico
Assim como ocorreu na reestreia de Muricy, o placar eletrônico exibirá uma mensagem de homenagem, ressaltando o recorde de Ceni.

MITO, a referência
Os dez jogadores de linha do Tricolor vão entrar no gramado. Após os primeiros gritos de reverência das arquibancadas, Ceni entrará por último em campo. A intenção é a de que o foco dos aplausos seja só a ele.

Convocação no site oficial
Na internet, o clube convoca os torcedores para o dia histórico.

Placa?
A diretoria ainda não definiu a data, mas Ceni receberá uma placa.

Sem bandeirinhas
O São Paulo não entregará bandeiras personalizadas antes da partida.

Sem produto especial
A diretoria não iniciará venda de produto específico de Ceni neste domingo.

Morumbi tem pior ano em Brasileiros

O ano de 2013 passou longe de ser bom para o Morumbi em termos de resultado do São Paulo. Na verdade, pelo Campeonato Brasileiro, foi o pior ano para o clube. Foram sete derrotas, o recorde desde 1971, quando a competição nacional foi criada.

O máximo de derrotas que o São Paulo havia sofrido em um mesmo ano jogando em sua casa foi cinco, três vezes: 2010, 2005 e 2003. O aproveitamento deste ano, no entanto, é ainda mais inferior.

Com 16 jogos até agora, sete vitórias e dois empates além das sete derrotas, o Tricolor tem aproveitamento de 47,92%, o mais negativo de toda a história, nos campeonatos em que a equipe jogou mais de dez vezes no Morumbi. E as más recordações não param.

Este ano o torcedor também presenciou derrotas em jogos decisivos. Nas oitavas de final da Libertadores para o Atlético-MG (2 a 1), na final da Recopa para o Corinthians (2 a 1) e quarta-feira passada, pela semifinal da Sul-Americana, para a Ponte Preta (3 a 1).

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*