Primeiro clássico entre grandes paulistas tem novo San-São esvaziado

A CBF programou para a quarta rodada do Campeonato Brasileiro o primeiro confronto envolvendo os quatro grandes paulistas. Mas, talvez, não contasse com o sucesso dos dois escolhidos em competições prioritárias como aCopa do Brasil e a Libertadores. E se esqueceu dos compromissos da Seleção Brasileira. Desta forma, São Paulo e Santos fazem um clássico esvaziado neste domingo, no Morumbi.

A situação lembra o que ocorreu na última rodada da liga nacional no ano passado. O duelo estava tão mal cotado que a CBF não se intimidou a tirá-lo do Morumbi a pedido da Polícia Militar, que já se preocuparia com o jogo no mesmo horário entre Corinthians e Palmeiras no Pacaembu – o time alvinegro seria campeão.

Por isso, o San-São ocorreu em Mogi Mirim. E o Peixe, preocupado com o Mundial de Clubes semanas mais tarde – viajou para o Japão no dia seguinte –, teve só Elano como titular para recuperar ritmo. Muricy Ramalho armou sua equipe com Vladimir; Pará, Bruno Aguiar, Vinícius Simon e Éder Lima; Anderson Carvalho, Ibson, Elano e Felipe Anderson; Diogo e Alan Kardec.

Do outro lado, o São Paulo precisava vencer e torcer por outros três resultados para chegar à Libertadores. Mesmo assim, não atuou com força máxima. Alegando já pensar em 2012, Emerson Leão sacou Dagoberto, que já tinha pré-contrato assinado com o Inter, e escalou Rogério Ceni; Jean, João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Denílson, Cícero e Lucas; Fernandinho e Luis Fabiano.

A partida terminou com vitória tricolor por 4 a 1, com dois gols de Luis Fabiano, um de Cícero e outro de Lucas. Elano descontou para o clube alvinegro. Apesar de terem feito a sua parte, os comandados de Leão ficaram sem a vaga na principal competição do continente porque o Inter derrotou o Grêmio no Beira-Rio.

 

O cenário cheio de reservas só não será maior neste domingo por falta de opções. Leão sempre se recusou a priorizar qualquer torneio e escalaria força máxima se pudesse, apesar de iniciar as semifinais da Copa do Brasil contra o Coritiba na quinta-feira, no Morumbi.

Mas o técnico está sem Bruno Uvini, Casemiro e Lucas, que estavam à disposição da Seleção Brasileira até esse sábado, Rogério Ceni, Wellington e Cañete, que se recuperam de cirurgia, Fabrício, em busca de melhor condicionamento físico, e Luis Fabiano, suspenso.

Muricy Ramalho, por sua vez, até gostaria de colocar só reservas em campo. Mas até brincou que “se fizesse isso, perderia por W.O.”. Por isso, mesmo com o primeiro duelo contra o Corinthians pela semifinal da Libertadores marcado para quarta-feira, na Vila Belmiro, deve usar alguns titulares.

O Santos não terá Rafael e Neymar, ambos na Seleção, Juan, impedido por questões contratuais – pertence ao São Paulo e está emprestado –, Paulo Henrique Ganso, Arouca, Borges, Fucile, Dimba, Crystian, Rafael Galhardo, David Braz, Bernardo e Pedro Castro, todos machucados. Com tantos desfalques, não há como barrar Maranhão, Edu Dracena, Durval, Adriano, Henrique, Elano, Léo e Alan Kardec.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*