Por seleção, Lugano intermediou negociação entre Pereira e São Paulo

O São Paulo teve um aliado decisivo na condução das tratativas com a Inter de Milão (ITA) para concluir a transferência por empréstimo do uruguaio Álvaro Pereira: foi o zagueiro e compatriota Diego Lugano, ídolo são-paulino, que atuou como intermediário nas duas pontas. O principal objetivo do capitão da seleção uruguaia foi encontrar um clube para que seu companheiro de equipe pudesse atuar como titular até a Copa do Mundo de 2014. Pereira assinará contrato de empréstimo até junho de 2015 com o São Paulo.

A diretoria do São Paulo se interessou por Álvaro Pereira e buscou informações sobre o jogador com Diego Lugano. O zagueiro de 33 anos, que atualmente defende o West Brom (ING), estava ciente da insatisfação de Pereira na Inter de Milão por causa da ausência no time titular. Lugano passou parecer positivo ao presidente Juvenal Juvêncio, descreveu as qualidades do compatriota, o desejo de Pereira em deixar a Inter de Milão e falou sobre o papel tático que o jogador poderia representar. Com o sinal verde, o São Paulo avançou e o zagueiro, campeão mundial em 2005 pelo clube, assumiu papel decisivo no negócio.

Capitão da seleção uruguaia, Lugano atua ao lado de Álvaro Pereira desde 2008 pela Celeste. O lateral esquerdo de 28 anos passou a integrar a equipe nacional desde os primeiros anos do comando de Óscar Tabarez, enquanto o zagueiro já defendia a seleção desde 2004. Antes de fechar com o São Paulo, Pereira sofreu com a reserva na Inter de Milão e buscava um clube para atuar como titular. Interessado em ver seu lateral esquerdo jogando com frequência às vésperas da Copa do Mundo de 2014, Diego Lugano ligou o interesse do São Paulo no atleta ao desejo de Pereira de atuar com frequência.

A partir daí, Lugano conversou com Pereira e participou da troca de mensagens entre São Paulo e o jogador. Segundo a diretoria são-paulina, foi fácil convencer Pereira a deixar a Inter de Milão com a argumentação de Lugano. O zagueiro jogou no São Paulo entre 2003 e 2006 e se consagrou como um dos grandes ídolos do clube após ser um dos líderes da equipe que conquistou a Copa Libertadores e o Mundial, em 2005.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*