‘Parça’ de Lucas, destaque da Série B quer nova chance no São Paulo

No futebol, dizem que um time joga ao ritmo do seu “camisa 10”. No América-RN, a situação reflete o dito popular. Revelado pelo São Paulo na mesma safra de jogadores como Casemiro, Lucas, Wellington e Rodrigo Caio, Régis chegou ao Mecão de forma tímida e, hoje, é referência da equipe na luta contra o rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro. Com apenas 20 anos, o canhoto bom de bola espera por uma nova oportunidade no Tricolor e também sonha com a Europa.

Régis chegou ao América-RN no dia 30 de setembro. Sua contratação foi acertada dias antes, quando o alvirrubro treinou no CT de Cotia antes de enfrentar o Palmeiras. Carlos Moura Dourado, então gerente de futebol do Mecão, observou o futebol do garoto e decidiu fazer a aposta, fechando o empréstimo junto ao São Paulo. Perto do fim da janela de contratações da Segundona, foi um verdadeiro “achado”.

Régis, meia do América-RN (Foto: Frankie Marcone/Ag. Estado)Em nove jogos pelo América, Régis marcou cinco gols (Foto: Frankie Marcone/Ag. Estado)

O meia pisou pela primeira vez no Centro de Treinamento Abílio Medeiros, em Parnamirim, com a desconfiança dos torcedores e a incerteza de que poderia ser, ao menos, relacionado entre os 20 jogadores para uma partida. A oportunidade surgiu em um momento crítico para o clube. Com a lesão sofrida pelo experiente Cascata e as apresentações irregulares dos substitutos – Chiquinho Gaúcho, Almir e Vinícius Pacheco -, o América-RN não conseguia sair da zona do rebaixamento.

Para Régis, a estreia só aconteceu após a efetivação de Leandro Sena, que era treinador do time sub-20. O pontapé inicial foi dado na goleada por 4 a 1 sobre o Paraná, pela 28ª rodada da Série B. O garoto assumiu a responsabilidade da titularidade e deu nova cara à equipe alvirrubra, marcando o seu primeiro gol como profissional, e ainda dando a assistência para o gol de Márcio Passos.

A boa apresentação foi o suficiente para assegurar a camisa 10 e lá se vão nove jogos como titular. De quebra, é um dos artilheiros da equipe, com cinco gols. Referência do esquema de jogo adotado por Leandro Sena, ele espera terminar o ano em grande estilo. Segundo Régis, a meta de todos no clube é deixar o alvirrubro com a vaga garantida na Série B de 2014.

– Estou muito feliz por tudo que está acontecendo e por estar ajudando o América da melhor forma possível. Graças a Deus, as coisas estão se encaminhando bem aqui no clube e vamos trabalhar para cumprir o nosso objetivo, que é a permanência do América-RN na Série B – disse o jogador aoGLOBOESPORTE.COM.

Época da “zueira”

Nas categorias de base do São Paulo, Régis integrou um elenco chamado por ele de “zueira”, termo usado por conta das brincadeiras e da amizade que construiu com jogadores como Casemiro, volante do Real Madrid, e Lucas, meia do Paris Saint-Germain. O ambiente era de descontração, mas as obrigações eram muitas.

– Às vezes, dividia o quarto com o Lucas. É um grande parceiro, que eu respeito muito e tenho a amizade dele. Outro cara gente boa é Casemiro. Tenho amizade com todos os moleques daquele grupo e espero encontrá-los novamente. Treinávamos muito e jogávamos com o coração – conta.

Régis, meia do América-RN e Lucas, meia do Paris Saint-Germain, atuaram juntos no São Paulo (Foto: Divulgação/Futpress)Régis e o ‘parça’ Lucas atuaram juntos nas categorias de base do São Paulo (Foto: Divulgação/Futpress)

Para igualar os passos dos amigos que foram jogar no Velho Continente, Régis reproduz a fala de todo jogador de futebol e sonha, um dia, em defender as cores de um tradicional clube europeu.

– É o sonho de todo jogador e, com certeza, é o meu também. Estou trabalhando, dia a dia, aqui no América-RN que é para mostrar ainda mais o meu potencial. Pretendo atuar fora do país e seguir os mesmos passos deles – afirma.

Em 2012, Régis foi integrado ao elenco profissional do São Paulo e passou a trabalhar com o técnico Ney Franco e jogadores como o pentacampeão Rogério Ceni e o atacante Luís Fabiano. Algumas brincadeiras permaneceram, mas a responsabilidade e a esperança por uma oportunidade na equipe aumentaram. No entanto, o jogador acabou emprestado ao Paulista de Jundiaí no início de 2013, mas também não foi muito aproveitado.

Como o contrato de empréstimo com o América-RN se encerra após a Série B, o jogador acredita que poderá mostrar seu futebol novamente no São Paulo e espera ter uma chance na equipe principal.

– Minha ideia é voltar para o São Paulo e, se possível, disputar todas as competições que o clube for participar. Devo me apresentar lá no final do ano. Meu sonho é continuar no Tricolor depois do América-RN e começar a crescer lá e, se Deus quiser, brilhar no futebol – sonha Régis.

Gratidão ao alvirrubro

Faltando apenas duas rodadas para o término da Série B, o jogador já ensaia um discurso saudosista e fala em gratidão ao América-RN, que, segundo ele, “abriu as portas para o futebol brasileiro”.

Jovem meia Régis fez o primeiro gol do América-RN no clássico (Foto: Augusto Gomes)Jovem meia Régis fez o primeiro gol do América-RN no Clássico Rei contra o ABC (Foto: Augusto Gomes)

– Vou levar para a minha vida inteira esse aprendizado. Nunca vou me esquecer do carinho dos torcedores e do respeito de todo o elenco que me acolheu tão bem. O América-RN é um clube que me abriu as portas para o futebol brasileiro e também para o mercado, onde todo mundo está vendo os nossos jogos e sou muito grato a todos por isso – concluiu.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*