Oposição espera laudo da engenharia para votar projeto de cobertura no SP

A eleição para presidente do São Paulo vai ocorrer na segunda quinzena de abril e, atualmente, apenas um assunto domina as reuniões tanto da chapa de situação, que quer eleger Carlos Miguel Aidar, como da oposição, que tem Kalil Rocha Abdalla como candidato: a construção da cobertura do estádio do Morumbi .

Na noite desta quinta-feira, membros da chapa que é contra Juvenal Juvêncio se reuniram na sede do grupo “SPFC Forte” e falaram sobre a obra que virou motivo de polêmica, desde o dia 17 de dezembro do ano passado, quando a votação programada para ocorrer no salão nobre do estádio não foi realizada.

Ao contrário do que haviam dito ao GloboEsporte.com na semana passada, Marco Aurélio Cunha e Kalil Abdalla confirmaram que a comissão de conselheiros da oposição teve acesso aos contratos da obra. Os documentos já foram aprovados tanto no aspecto jurídico quanto econômico. Falta a comissão de engenharia da oposição ter acesso aos projetos que já estão com o assessor de Juvenal Juvêncio, José Francisco Manssur.

– Juridicamente, o contrato está correto. Financeiramente, embora me preocupe muito o futuro, me foi passado que está tudo certo. Falta agora ter acesso aos documentos da parte de engenharia. Estando tudo certo, poderemos sentar e votar. Volto a dizer. Não tenho pressa para aprovar o projeto, quero o melhor para o São Paulo. Quanto mais cuidado tomarmos melhor para o clube – afirmou Marco Aurélio.

A questão da engenharia gera dúvidas na oposição porque o projeto da cobertura do estádio é inédito no Brasil. O que mais preocupa é a estrutura que será fechada para montar a arena multiuso atrás de um dos gols do Morumbi.

– A cobertura será sustentada por uma viga de 220 metros. Não existe nada parecido no Brasil, por isso temos de analisar com extremo cuidado. Ninguém aqui está trabalhando contra o São Paulo – afirmou o conselheiro Eduardo Alfano, que faz parte da comissão da oposição envolvida na discussão da obra.

projeto de cobertura do Morumbi (Foto: Divulgação / São Paulo FC)Projeto de cobertura do Morumbi: motivo de polêmica entre situação e oposição (Foto: Divulgação / São Paulo FC)

Dorival Decosseau, ex-diretor de comunicação de Juvenal Juvêncio, espera também que a questão da construtora seja resolvida antes da votação.

– Como vamos aprovar uma obra se a construtora saiu e não sabemos quem será a responsável? – questionou.

No início da semana, um grupo de conselheiros da situação enviou um documento ao presidente do Conselho Deliberativo do Clube, José Carlos Ferreira Alves, pedindo que ele defina a data da votação da cobertura. Como o documento continha mais de 55 assinaturas, ele será obrigado a marcar uma reunião extraordinária para que o assunto seja discutido. A data ainda não está definida.

O projeto da cobertura tem orçamento previsto de R$ 460 milhões e prazo de construção de 18 meses.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*