O São Paulo descobriu um garoto-propaganda em Cotia

boschilia003

Era para ser apenas um bom jogador de futebol, mas o São Paulo descobriu que um dos mais promissores jovens jogadores do clube tem potencial para ser, também, um destaque midiático. O meia Gabriel Boschilia, de 18 anos, nunca havia concedido uma entrevista coletiva quando foi selecionado para protagonizar um vídeo de apresentação do CT da Barra Funda, promovido pelos departamento de comunicação e marketing. O resultado foi desenvoltura ímpar, piadas improvisadas com Muricy Ramalho, Luis Fabiano, Pato e outros jogadores. Agora, o clube blinda para dosar a exposição enquanto imagina o potencial midiático do jovem.

Boschilia foi escolhido por ser um dos jogadores da categoria profissional que moram no CT da Barra Funda. Mesmo estando entre os principais atletas do clube, o jovem só conhece badalados como Rogério Ceni e Luis Fabiano há pouco mais de dois meses. O período curto, no entanto, parece ter sido o bastante para criar intimidade. Além de usar o bordão “aqui é trabalho, meu filho”, de Muricy Ramalho, por quatro vezes durante um vídeo de cerca de cinco minutos, Boschilia faz piadas com os cabelos do argentino Marcelo Cañete e do lateral direito Luis Ricardo, e apelida o lateral esquerdo uruguaio Alvaro Pereira de “Imperador do Tricolor”.

O vídeo foi publicado no canal oficial do São Paulo no Youtube, e também postado no site do clube. Não se esperava que Boschilia tivesse performance tão natural. As conversas foram gravadas em improviso, sem grandes testes e soaram naturais na apresentação do garoto.

A avaliação do marketing são-paulino é que Boschilia foi tão bem que fez do vídeo, que era para ser apenas uma apresentação do CT, uma oportunidade para também se apresentar para a torcida. Com apenas quatro jogos pelo São Paulo, ele ainda não concedeu nenhuma entrevista exclusiva. No vídeo, porém, brinca. Aparece na sala de imprensa imitando o discurso padrão dos jogadores de futebol e conclui com mais um “aqui é trabalho, meu filho” – ele também usa a frase ao jogar sinuca e ao fazer musculação no Reffis, centro de reabilitação fisioterápico e fisiológico, sobre o qual comemora de forma irônica: “graças a Deus, nunca vim”.

Em campo, Boschilia também impressiona. Apesar de apenas quatro jogos, tem sido relacionado para quase todas as partidas. Destaque da seleção brasileira sub-17 em 2013, deixou de ser um meia armador central e hoje também serve como opção às pontas do campo – ele prefere a ponta direita, como mostra ao brincar na prancheta tática de Muricy Ramalho, ao se imaginar dando assistências para Luis Fabiano.

Gabriel Boschilia passou pouco mais de um ano em Cotia, no centro de formação de atletas do São Paulo. Em novembro de 2012, antes disso, ele trocou o Guarani pelo clube do Morumbi.
 

Fonte: Uoo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*