O que o Corinthians vê como desleixo o São Paulo chama de introversão

Alexandre Pato agora defende o São Paulo. E o Corinthians agora não defende Pato. Pelo menos informalmente. Os dias depois do negócio entre clubes rivais que envolveu o meia Jadson serviram para que a ala insatisfeita com o rendimento de Pato no Parque São Jorge se insurgisse contra o jogador. Do Corinthians, as críticas a Pato vão da ingenuidade por não entender piadas irônicas a um suposto descompromisso. O São Paulo o analisa e o defende.

Pato, às vezes, não entendia uma ironia. Uma piada subjetiva. É o que relata uma das alas corintianas. A mesma que diz que o jogador tinha dificuldades para entender orientações táticas de Tite, assim como de Mano Menezes. Em campo, os R$ 40 milhões investidos na compra do jogador junto ao Milan, no início de 2013, não apareceram. Para estes, fruto de um jogador que tinha problemas para compreender tanto o futebol proposto como a vida social do Corinthians.

Há outra ala, no Corinthians, que discorda. Não trata Pato como esse ingênuo, colocado por outros membros do clube. Fala em desleixo, falta de vontade. Fala que Pato sabe o que quer, e que não tem grandes ambições profissionais. O perfil do atacante de 24, adepto dos costumes da alta sociedade, é totalmente diferente do de outros atletas. Isso o teria distanciado dos antigos companheiros.

Estes que relatam um Pato mais descompromissado do que ingênuo falam que o Corinthians esperava que ele tivesse no clube o mesmo comportamento e efeito que tiveram Ronaldo e Roberto Carlos. Comportamento do jogador vencedor, competitivo. E efeito daquele que se impõe pela superioridade técnica a partir do momento que a bola rola. No relato, a impressão de que Pato tem mais prazer em jantar em bons restaurantes ao lado de famosos do que em jogar futebol.

Incomodou a estes corintianos uma suposta entrega parcial de Pato em campo. O atacante, por ingenuidade ou desleixo, não correu, marcou e disputou bolas divididas do jeito que o Corinthians esperava após fazer o maior investimento de sua história na contratação. Nos dois discursos insatisfeitos está a mesma incompreensão pelo fato do clube ter solucionado o problema de Pato e o jogador não ter rendido: ele trocou a Itália pelo Brasil para cessar a crise de lesões que já durava duas temporadas, conseguiu parar de se machucar no Corinthians e mesmo assim não atingiu o desempenho esperado.

A diversidade de críticas corintianas foi colocado para os dirigentes do São Paulo logo após o primeiro contato do jogador com os novos empregadores, na tarde da última terça-feira. A avaliação da diretoria são-paulina é que Pato é introvertido, tímido e não descompromissado. O relato de quem conversou com o atacante é que ele tem um perfil que, assim como dizem os corintianos, difere do jogador comum. No caso do São Paulo, porém, isso não foi visto de forma negativa nesse momento.

Fonte: Uol

Um comentário em “O que o Corinthians vê como desleixo o São Paulo chama de introversão

  1. O Pato me parece um jovem “fino”. Assim também ele trata a bola: com fineza; com classe; com elegância. Não devemos esperar vê-lo dar carrinhos e divididas no meio campo; esperamos vê-lo fechando das laterais para o centro da área, em velocidade, com a bola colada aos pés ou para receber em profundidade, e fazer os gols que ele sabe e que o SP precisa para voltar a ser campeão. . .
    Dá-lhes Pato!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*