Novo presidente do SP pode sair hoje. Juvenal canta vitória de Aidar

A eleição presidencial do São Paulo só acontecerá no próximo dia 16, mas é possível que o sucessor de Juvenal Juvêncio seja conhecido já neste sábado caso a chapa de situação, de Carlos Miguel Aidar, consiga vitória expressiva entre os sócios na escolha dos novos 80 conselheiros. Apesar dos prognósticos otimistas dos aliados da atual gestão, a oposição de Kalil Rocha Abdalla prevê número expressivo de eleitos para o conselho deliberativo.

A eleição deste sábado é decisiva. O conselho deliberativo do São Paulo é composto da seguinte maneira: são 160 conselheiros vitalícios e 80 conselheiros eleitos. Estes 80 serão renovados neste sábado e se juntarão aos outros 155 vitalícios (cinco vitalícios morreram e ainda não houve substituição) para eleger, no próximo dia 16, o novo presidente do São Paulo. A importância da eleição de conselheiros se dá pelo equilíbrio entre os vitalícios: a oposição afirma ter protocoladas as assinaturas de 76 vitalícios em apoio a Kalil Rocha Abdalla , número que os líderes da campanha de Aidar confirmam.

A situação afirma ter recolhido 84 assinaturas em favor de Carlos Miguel Aidar. Os dois lados, no entanto, admitem que dez vitalícios assinaram as duas listas e estão indecisos. Espera-se que cinco dos 155 vitalícios vivos não compareçam à votação do dia 16 por problemas de saúde. “O problema é que tem uns que estão doentes e não vão votar. O São Paulo tem um conselho vitalício de mais idade e tem alguns com mais de 90 anos, não são poucos”, disse Juvenal Juvêncio, ao UOL Esporte. Como não poderia ser diferente, ele já canta vitória de seu indicado.

“Nessa assembleia de sábado entendo que terá uma posição majoritária da situação. Eu fui um presidente muito atento às reivindicações do social. Eu não tenho inadimplência. Te mostro mês a mês nos boletins do financeiro: 0,13 a 0,24%. Não tenho inadimplência. As pessoas amam o clube”, fala, antes de defender a própria postura na campanha: “Meu comportamento no processo da eleição foi absolutamente retilíneo. Você não vê uma declaração apelativa, bombástica, apelativa”, completa.

Curiosamente, pela primeira vez desde o início da campanha, situação e oposição falam os mesmos números sobre o apoio dos vitalícios, o que torna o prognóstico confiável. A discussão sobre o número de eleitos neste sábado, no entanto, não bate entre as previsões. A situação diz que elegerá mais de 50 conselheiros entre os 80 novos. A oposição fala em conseguir pouco mais de 40, com número máximo de 46.

A eleição estará decidida caso a chapa de Aidar consiga, neste sábado, eleger mais de 50 conselheiros. Com o ligeiro apoio entre os vitalícios, a situação já teria conseguido pelo menos 15 votos a favor caso atinja o número que prevê. Se o prognóstico da ala de Kalil Rocha Abdalla se confirmar, o dia 16 de abril ganhará contorno de final de campeonato.

O pequeno favoritismo de Aidar revela a eleição mais concorrida desde o início da era Juvenal Juvêncio. Em 2006, Juvenal sucedeu Marcelo Portugal Gouvêa ao vencer Marcelo Martines por 127 a 101; em 2008, derrotou o ex-judoca Aurélio Miguel por 147 a 64; em 2011, massacrou Edson Lapolla por 163 a 7. Dessa vez, o resultado terá menor margem de diferença.

Neste sábado, podem votar na eleição de conselheiros apenas os sócios que são donos de seus próprios títulos e que estão em dia com o clube. Cada chapa apresentou uma lista de 120 candidatos às 80 vagas, então serão 240 candidatos. O sócio escolhe em qual chapa quer votar e, dentro da chapa, seleciona até 40 dos 120 nomes disponíveis. Os critérios para a seleção dos eleitos, após a apuração dos votos de cada chapa, são número de matrícula e soma de votos individuais. Entre os eleitos da chapa, alternam-se os mais antigos com os que mais obtiveram votos.

A eleição começa às 8h deste sábado e deverá ser encerrada, com nomes definidos, apenas por volta das 22h.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*