Ney descarta mística do vestiário dos visitantes: ‘Foi uma coisa normal’

O estádio do Pacaembu traz boas recordações a alguns jogadores do São Paulo. No palco, o zagueiro Rafael Toloi marcou um belo gol de falta diante da Universidad de Chile, em jogo que terminou com goleada do Tricolor por 5 a 0. No palco do jogo, Luis Fabiano marcou dois gols em cima do Corinthians e deu a vitória do clube do Morumbi após um jejum sem conquistas diante do arquirrival. No Pacaembu, também, Ganso deu um show e “carimbou” o passaporte do Alvinegro, antes da viagem ao Japão.

O treinador são-paulino Ney Franco também tem motivos para sorrir no palco. O técnico dirigiu o Tricolor em três oportunidades e venceu em todas as chances. No primeiro, diante do Corinthians, o São Paulo foi visitante, logo, não utilizou o vestiário dos mandantes. Já diante da La U, o Tricolor, mesmo mandante, também utilizou o vestiário dos visitantes, o que também aconteceu no segundo turno do Brasileiro contra o Timão.

Os bons resultados fizeram com que Ney sempre optasse pelo vestiário dos reservas, contudo, o treinador descarta haver uma “mística” naquele local que traz boas memórias ao Tricolor.

– Foi uma coisa normal, chegamos no estádio e conduziram a gente para o vestiário. Não teve escolha nenhuma em relação aos vestiários, mas sei que aquele que a gente utilizou tem estrutura, é um bom vestiário. Não conheço bem as instalações do Pacaembu, não sei nem se tem outro vestiário melhor, mas aquele que a gente tem utilizado tem nos atendido muito bem – declarou o treinador, ao LANCE!Net.

O técnico, aliás, descarta qualquer superstição no estádio e endossa o coro de que não problemas em atuar no estádio municipal.

– O melhor é sempre jogar em casa, no Morumbi. Aceitamos a punição, mas a gente vai para um campo com estrutura para um bom futebol. Não podemos levar a responsabilidade para o campo, pois tivemos um aproveitamento muito bom. Acho que a questão do campo foi superada estamos adaptados, é da nossa cidade, não tem dono – declarou, em coletiva.

Agora, diante do Arsenal de Sarandí (ARG), o treinador busca aumentar o seu número de vitórias consecutivas sob o comando do São Paulo e também manter a mística do bom retrospecto no Pacaembu, seja no vestiário dos visitantes ou mandantes.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*