Na terra do Papa, São Paulo busca salvação contra o Arsenal

O futuro do São Paulo em 2013 passa pelo estádio Julio Grondona, em Avellaneda, na Argentina, nesta quinta-feira. De um dos favoritos ao quarto título da Libertadores a ameaçado. De badalado a questionado. Depois de resultados ruins e atuações pouco convincentes, o Tricolor enfrenta o Arsenal, às 21h30m, para evitar que o pesadelo de ser eliminado logo na fase de grupos não comece a virar uma realidade cada vez mais concreta.

O empate por 1 a 1 contra o mesmo adversário, semana passada, no Pacaembu, complicou o clube do Morumbi. Além de não conseguir engatar uma série de boas exibições, o time soma apenas quatro pontos, está oito abaixo do Atlético-MG e um acima do Strongest, rival seguinte, dia 4 de abril, em La Paz, na Bolívia.

A partida pode indicar também o destino do técnico Ney Franco. A “lua de mel” pela conquista do título da Copa Sul-Americana em 2012 acabou. O treinador está pressionado por não conseguir encontrar um padrão de jogo, principalmente depois que Lucas foi vendido para o Paris Saint-Germain.

O Arsenal, quase morto, voltou a viver e até acreditar na classificação para a segunda fase. Os argentinos estão em último no Grupo 3, com apenas um ponto, mas embolarão a disputa se conquistarem um triunfo sobre os brasileiros em seu caldeirão para apenas 16 mil pessoas.

O equatoriano Omar Ponce apita a paritda. Os auxiliares são Luis Alvarado e Byron Romero, também do Equador. Você acompanha a partida, em Tempo Real, no GLOBOESPORTE.COM.

header as escalações 2

Arsenal: Benedetto, autor do gol de empate contra o São Paulo na semana passada, deve entrar no ataque no lugar de Rolle. Com isso, a escalação provável do time do técnico Gustavo Alfaro é Campestrini; Gerlo, Cuesta, Braghieri e Pérez; López, Marcone, Luguercio e Carbonero; Benedetto e Furch.

São Paulo: o técnico Ney Franco fechou todos os treinamentos da semana e não deu pistas sobre a escalação. No entanto, fará mudanças. Sem Luis Fabiano no ataque, deve improvisar Douglas como um ponta, passando Aloísio para o meio da área. Assim, o garoto Rodrigo Caio assume a vaga na lateral direita. Na marcação, Denilson retorna para formar dupla com Fabrício. A formação é a seguinte: Rogério Ceni, Rodrigo Caio, Lúcio, Rafael Toloi e Cortez; Fabrício, Denilson e Jadson; Douglas, Aloísio e Osvaldo.

quem esta fora (Foto: arte esporte)

Arsenal: Todos estão à disposição.

São Paulo: Luis Fabiano, expulso na rodada passada, Wellington, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Rhodolfo, em recuperação de dores no tornozelo direito.

header fique de olho 2

Arsenal: Benedetto. O atacante ajudou a mudar o panorama do jogo realizado no Pacaembu, na semana passada, puxando contra-ataques para o time argentino. Foi dele o gol de pênalti.

São Paulo: Aloísio voltará à função que em 2012 brilhou pelo Figueirense. O jogador atuará como centroavante, sem tanta obrigação de ajudar na marcação. No ano passado, ele se destacou ao marcar 14 gols no Campeonato Brasileiro, mesmo número de Neymar, perdendo apenas para Luis Fabiano e Fred.

header o que eles disseram

Danilo Gerlo, zagueiro do Arsenal: “Temos de jogar intensamente durante os 90 minutos. É a única forma de conseguirmos a vitória”.

Ney Franco, técnico do São Paulo: “É um jogo muito importante para a disputa pelas vagas na próxima fase. Sabemos que o Arsenal é um adversário complicado, jogará em seu campo, mas temos condições de vencer”.

header números e curiosidades

* Quem tem vantagem? Confira o histórico do confronto na Futpédia

* O São Paulo atuou 15 vezes na temporada 2013, com nove vitórias, três empates e três derrotas, 31 gols marcados e 17 sofridos, e tem em Luís Fabiano e Jadson, com sete gols, seus principais artilheiros no ano.

* O técnico Ney Franco utilizou 29 jogadores diferentes este ano. Paulo Henrique Ganso e Aloísio foram os que mais jogaram com 14 partidas cada um.

* O São Paulo volta a atuar na Argentina pouco mais de três meses depois da primeira partida da decisão da Copa Sul-Americana 2012 diante do Tigre, quando empatou sem gols.  Já a penúltima passagem do Tricolor paulista na Argentina foi a derrota por 2 a 1 para o Boca Juniors, na Bombonera, pela Copa Sul-Americana 2007.

* O São Paulo não tem bom retrospecto atuando recentemente na Argentina. Em suas últimas 16 partidas no país, de 1997 para cá, o Tricolor obteve apenas uma vitória (3 a 2 sobre o River Plate, pela Libertadores 2005). Nas demais 15 partidas, foram quatro empates e 11 derrotas.

* Em sua história, o São Paulo tem um retrospecto de 82 jogos diante de equipes argentinas, com 31 vitórias, 19 empates e 32 derrotas, 125 gols marcados e 111 sofridos. O Boca Juniors (20 jogos) é a equipe argentina que mais vezes enfrentou o São Paulo. O Arsenal é a 17ª equipe argentina diferente que enfrenta o São Paulo.

* Este ano, o São Paulo confirma sua marca de melhor equipe brasileira na Libertadores. O Tricolor é o que mais vezes participou da competição (16 vezes), uma a mais que o Palmeiras. Além disso, o São Paulo detém o recorde de participações consecutivas entre times brasileiros: entre 2004 e 2010, o Tricolor disputou a Libertadores sete vezes seguidas. Diante do Arsenal, o São Paulo disputa sua 155ª partida na história da Libertadores, outro recorde entre brasileiros.

* Esta é apenas a terceira vez que o Arsenal disputa uma edição da Taça Libertadores da América. Em suas duas primeiras participações, em 2008 e 2012, a equipe argentina não passou da fase de grupos.

header último confronto v2

São Paulo e Arsenal empataram por 1 a 1, dia 7 de março, no Pacaembu, pela terceira rodada do Grupo 3 da Taça Libertadores. Apesar de não jogar bem, o Tricolor abriu o placar no último lance da etapa inicial, com Jadson, após passe de calcanhar de Aloísio. O empate argentino saiu logo nos primeiros minutos do segundo tempo depois de um duvidoso toque de mão de Cortez na área. Benedetto cobrou o pênalti e igualou o placar.

 

Fonte: Globo Esporte

Um comentário em “Na terra do Papa, São Paulo busca salvação contra o Arsenal

  1. PP
    Espero que vc esteja errado qto ao time que deve sair jogando.
    Pra que improvisar duas vezes com jogadores fora de suas reais possições? O Rodrigo Caio foi bem de lateral? Sim, mas foi muito melhor de volante.Assim ele só vai fazer o garoto correr o risco de ferrar com sua carreira, jogando deslocado, tendo que correr muito sem a bola e, de-repente, chegar atrasado em algum lance e, voluntarioso como é, tomar algum cartão que prejudique o time e sua carreira. O Douglas tanto é ruim de meia como de lateral; então lógico seria mante-lo em sua posição real e torcer para ele estar em um melhor dia.
    abraços. . .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*