Muricy fica na dúvida, mas diz que recusaria ofertas de seleções para Copa

Aos 57 anos, Muricy Ramalho tem vitoriosa carreira como treinador e fala em se aposentar no São Paulo. O técnico, que nunca trabalhou em seleções e teve brecada a oportunidade de treinar o Brasil, em julho de 2010, hoje fica na dúvida se aceitaria o convite de uma seleção estrangeira para a Copa do Mundo de 2014, mas afirma que não tem mais esse tipo de ambição profissional.

“É uma pergunta difícil…”, disse Muricy Ramalho, depois de alguns segundos em silêncio após ser questionado sobre o tema nesta terça-feira, em entrevista coletiva no CT da Barra Funda. “Eu não tinha nem tempo de pensar nisso, com tudo aqui, mas eu não tenho essas loucuras, não tenho mais esses sonhos de Copa do Mundo, de seleção. Meu sonho é ter muita confiança que eu possa fazer uma coisa boa aqui”, respondeu o treinador do São Paulo.

Contratado pelo São Paulo no início de setembro e principal responsável pela recuperação do time que sofreu com a possibilidade de ser rebaixado no Brasileirão, Muricy tem contrato com o clube até o fim do ano e a renovação é dada como certa, tanto por ele como pela diretoria. Questionado sobre a chance de um convite da seleção do México, como exemplo, Muricy novamente não foi enfático na recusa – o técnico trabalhou no país entre 1979 e 1985, como jogador, e em 1993, como treinador.

“A Copa está muito em cima, acho que eles não trocariam de técnico agora. É claro que o México já trocou duas vezes de treinador, é um país que eu morei, no qual tenho amigos, mas não tenho o pensamento, não”, disse Muricy, que ainda afirmou que planeja passar o período da Copa do Mundo em férias, fora do Brasil.

Em julho de 2010, após a queda de Dunga – resultante do fracasso da seleção brasileira na Copa do Mundo da África do Sul, no mês anterior – Muricy Ramalho se reuniu com o então presidente da CBF Ricardo Teixeira e aceitou o convite para dirigir a seleção. O Fluminense, porém, não aceitou rescindir seu contrato e vetou a mudança.

Na ocasião, Muricy havia dito que esperava a liberação do Fluminense, admitiu o desejo em atender o convite de Ricardo Teixeira, e depois da recusa do clube não comprou briga e aceitou cumprir o contrato. Mais tarde, no fim de 2010, o técnico se sagrou campeão do Brasileirão pela quarta vez, pelo clube carioca.

Os únicos trabalhos de Muricy Ramalho fora do Brasil foram no Puebla, do México, em 1993, clube no qual jogou por seis anos, e no Shanghai Shenhua, da China, em 1998.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*