Muricy critica base no País e se preocupa com busca por estrangeiros

O técnico Muricy Ramalho está preocupado com o momento das categorias de base no Brasil. Ao ver a busca dos clubes nacionais por atletas do exterior, o treinador entende que o aumento do interesse por estrangeiros se dá pela dificuldade em revelar atletas no País.

“Conversei esses dias sobre isso, porque é uma preocupação. Estão trazendo tantos de fora, e ofutebol brasileiro nunca tinha passado por isso. Nós tínhamos um estrangeiro de vez em quando, muitas vezes uruguaio, mas hoje vejo o Vasco, por exemplo, com cinco”, comentou.

O próprio Tricolor recorre ao mercado sul-americano, pois contratou nesta temporada o uruguaio Alvaro Pereira e o colombiano Pabon, além de já ter também Clemente Rodriguez. O mercado no Brasil está ainda mais aberto em 2014 porque a CBF aumentou o limite de estrangeiros em um jogo para cinco por equipe.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Muricy Ramalho afirma que nunca viu tantos estrangeiros serem contratados por clubes brasileiros

Para Muricy, tudo isso é reflexo das poucas revelações. O técnico tomou cuidado para deixar claro que sua preocupação é com o futebol brasileiro em geral, e não especificamente em relação ao São Paulo, que se gaba pela excelente infraestrutura do CT de Cotia.

 

“Nós precisamos de centroavante, para se revezar com o Luis Fabiano, mas não temos na base. Temos de rever isso. Claro que existem os jogadores que vão embora do País, mas isso sempre teve. E a reposição está difícil. Converso com outros treinadores, até para trocar, mas não tem. É uma coisa muito difícil. Estamos no mercado, procurando, e dependemos do bom negócio”, argumentou.

Muricy alega que a intenção não é contratar um reforço impactante para ser reserva de Luis Fabiano, mas lamenta por ter dificuldade de encontrar alguém no Brasil em condições de simplesmente compor o grupo.

“Não queremos um grande nome, até porque a parte econômica é difícil. Nós só esperamos que seja um bom jogador, mas olhamos em todas as divisões e está complicado”, salientou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

3 comentários em “Muricy critica base no País e se preocupa com busca por estrangeiros

  1. Achei interessante o que o Murici disse e pergunto:
    Ninguém sabe, mesmo, o que está acontecendo, ou todo mundo vê e não tá nem aí porque cada qual está cuidando de “ganhar o seu”?
    Os diretores e presidentes dos clubes estão mais preocupados em aparecerem diariamente na mídia do que acompanhar os acontecimentos que envolvem toda a cadeia de produção de atletas;
    Os técnicos principais das equipes, que deveriam ser os coordenadores de todo o processo de formação, da base até a mudança para os profissionais, por saberem que dificilmente serão eles os beneficiários de um serviço sério, já que a cultura dos clubes no Brasil é imediatista, eles simplesmente se preocupam em fazer ótimos contratos, com multas altíssimas que os mantém recebendo altos salários de vários clubes ao mesmo tempo, e esquecem o fator “formação de valores” que todos os clubes têm necessidade;
    Os responsáveis pela “base” geralmente são apadrinhados de alguém, sem o preparo devido para o serviço que fazem, e se deixam levar por interesses de terceiros, qualquer que sejam eles, motivo pelo qual vemos, constantemente, a base do SP dispensando bons jogadores e mantendo verdadeiros “pernas de pau” no seu elenco.
    Fizessem os clubes um serviço vertical, com os técnicos de todas as categorias trabalhando juntos, e voltaríamos a ter uma grande “produção” de valores que chegariam ao time principal com as qualidades desejadas por todos: com os “fora de série” sempre se destacando no cenário, mas com bons jogadores em todas as posições para reposição.
    Por que o Murici, que tem moral para começar isso no SP, não se preocupa em fazer isso pelo clube que tão bem lhe recebe e remunera, em vez de, apenas comentar de forma geral o problema? . . .

  2. GERALDOOOOOOOOOOOOOO, CADÊ O CENTROAVANTE QUE O MURICU QUER, ONDE ESTÃO OS JOGADORES FORMADOS EM COTIA, MANDA PARA O TRICOLOR E NÃO PARA OS CONCORRENTES.

  3. Aí está, como não temos na base substitutos para o zé pipokkka,
    Ademilson, Evandro, e um tal de Adelino,
    massss não da mesmo, são imaturos e tambem não sabemos de
    seus potenciais.
    Agora, buscar um jogador sulamericano é muito mais facil
    que contratar um zé pipokkka qualquer do futebol nacional,
    são carissimos e cheios de marra, os sulamericanos
    vem por muito menos e com muita vontade e disposição,
    essa é a grande diferença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*