Muricy chega a dez eliminações pelo São Paulo diante de clubes brasileiros

Muricy Ramalho entrou definitivamente para a história do São Paulo ao conquistar o tricampeonato inédito do Brasileirão de pontos corridos entre 2006 e 2008. Aclamado pelo torcedor e recebido como salvador em sua volta ao clube, em 2013, o treinador, porém, tem histórico ruim em mata-matas contra equipes nacionais no comando da equipe tricolor.

A eliminação precoce diante do Penapolense, no Morumbi, nas quartas de final do Campeonato Paulista, foi a décima do treinador em disputas desta natureza desde 2006, ano em que retornou ao clube em que havia sido jogador e onde iniciou a carreira junto do mestre Telê Santana.

Até hoje, dos 12 confrontos eliminatórios que fez com o Tricolor contra times nacionais, saiu vitorioso em apenas dois: nas oitavas de final da Copa Libertadores de 2006, quando superou o Palmeiras com um empate por 1 a 1 e uma vitória por 2 a 1, e na mesma fase, mas da Copa Sul-Americana do ano seguinte, com empates por 2 a 2 e 1 a 1 ante o Figueirense.

Muricy Ramalho são Paulo e Penapolense (Foto: Mauro Horita / Globoesporte.com)Muricy lamenta eliminação do Tricolor no Paulistão
(Foto: Mauro Horita / Globoesporte.com)

Dentre as mais doídas quedas para o são-paulino estão o vice-campeonato da Libertadores de 2006, contra o Internacional, a eliminação nas quartas da mesma competição em 2008, contra o Fluminense, e o tropeço diante do Corinthians de Ronaldo, no ano seguinte, pela semifinal do Paulistão.

Nos últimos anos, curiosamente, o técnico acumulou triunfos em competições de mata-mata pelo Santos, onde faturou dois Campeonatos Paulistas, em 2011 e 2012 – foi vice em 2013. Além disso, venceu a Libertadores (2011) e a Recopa Sul Americana (2012), mas sem confrontos com clubes brasileiros.

Em 2014, porém, o treinador ainda terá a chance de conquistar uma competição nestes moldes pelo Tricolor. No dia 9 de abril, o time volta a campo para enfrentar o CSA, de Alagoas, no Morumbi, pela segunda partida da primeira fase da Copa do Brasil. Uma eliminação precoce dá vaga na Copa Sul-Americana.

– Time grande tem de se impor, não importa o momento. Tínhamos de ganhar o jogo (contra o Penapolense). A decepção da torcida é compreensível. Em termos de futuro, não preocupa. Estávamos melhorando e vamos continuar melhorando para o Brasileiro – disse o treinador.

Confira abaixo todas as eliminações de Muricy com o Tricolor: 

2006
Libertadores: São Paulo 1×2 Internacional / Internacional 2×2 São Paulo (final)

2007
Paulista: São Caetano 1×1 São Paulo / São Paulo 1×4 São Caetano (semifinal)
Libertadores: São Paulo 1×0 Grêmio / Grêmio 2×0 São Paulo (oitavas)

2008
Paulista: São Paulo 2×1 Palmeiras / Palmeiras 2×0 São Paulo (semifinal)
Libertadores: São Paulo 1×0 Fluminense / Fluminense 3×1 São Paulo (quartas)
Sul-Americana: Atlético-PR 0x0 São Paulo / São Paulo 0x0 Atlético-PR – 3×4 nos pênaltis (primeira fase)

2009
Paulista: Corinthians 2×1 São Paulo / São Paulo 0x2 Corinthians (semifinal)
Libertadores: Cruzeiro 2×1 São Paulo / São Paulo 0x2 Cruzeiro (quartas)

2013
Sul-Americana: São Paulo 1×3 Ponte Preta / Ponte Preta 1×1 São Paulo (semifinal)

2014
Paulista: São Paulo 0x0 Penapolense – 4×5 nos pênaltis (quartas)

 

Fonte: Globo Esporte

4 comentários em “Muricy chega a dez eliminações pelo São Paulo diante de clubes brasileiros

  1. Que mania de associar maus resultados com o técnico que outrora todos queriam, mas como perdeu ontem, em virtude da ruindade dos jogadores contratados pela diretoria – e não pelo técnico, que trabalha com o que tem – , agora não serve mais.
    Esses torcedorezinhos modinhas estão com a mesma mania dos curintianos de antigamente, reclamando de tudo, colocando culpa em todos e não vê a realiadade.

    Qual, dos muitos que passaram nos últimos dois anos, técnico que de certo no SP? Será que nunca vão colocar a culpa em quem contrata? Será que nunca vão aprender que jogo é um jogo e por isso tem exatamente esse nome: jogo. Quando vão aprender que para um jogo são necessárias duas equipes com a mesma quantidade de jogadores, e que o que faz a diferença é a qualidade técnica, vontade e psicológico de cada jogador? Técnico não entra em campo, mas os escalam, os treinam.
    Não estou aqui tentando eximir a culpa do técnico, mas todos tem que aprender a torcer para o time, independente de vitória ou derrota, e que, nesses momentos é para dar apoio e não provocar uma crise. Claro que tem que cobrar, mas o brasileiro tem a mania de sempre eleger um culpado de tudo, talvez por preferência, ou por comodidade, ou…

    O time é muito ruim, tirando uns três ou quatro ali, o resto server para reserva no máximo. Então quem os contrata são os maiores responsáveis por esses anos de vergonha.

    • desculpe-me, Inconformado mas não é bem assim.
      Segundo seu comentário os jogadores do SP teriam que ser piores que os da Penapolense; ou do Ituano. Teria sido certo a diretoria ter contratado aqueles jogadores para os lugares dos “Cenis, Luis Fabianos, Gansos da vida”?
      Bom treinador é aquele que faz de um grupo mediano um grande time, como foi ontem o do Penapolense que deu um “banho” tático no SP. O trabalho do Narciso foi visto ontem, em como seu time jogou. E o do Murici, que mesmo com o time perdido em campo não foi capaz, ao menos, de tentar mudar alguma coisa, mexendo na forma de jogo ou na entrada de outros atletas?
      A cada um o seu valor. O do Murici está inflacionado no SP….

  2. Somem-se a isso mais duas eliminações, uma em 2005 contra a Boca Juniors na Recopa Sul Americana e outra em 2007 contra o Milionários da Colômbia na Sul Americana, o Muricy chega ao recorde de 12 eliminações em mata-matas. A pergunta que fica, ele ganhou algum pelo São Paulo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*