Mesmo sem Wagner, SP busca meia para ter Ganso longe de conforto

A diretoria do São Paulo viu o Fluminense encerrar as negociações de troca do meia Wagner pelo atacante Osvaldo e terá de jogar o resto do Paulistão sem um reserva à altura de Paulo Henrique Ganso. A titularidade absoluta do agora camisa 10, que herdou o número e ganhou tal conforto após a saída de Jadson para o Corinthians, incomoda os dirigentes. Mesmo sem poder inscrever reforços para o Paulistão, segue a busca por um meia.

O São Paulo só conseguirá fazer com que um novo reforço dispute o resto do atual Paulistão se agir em tempo recorde nas próximas horas. Termina nesta terça-feira o prazo para inscrição de atletas no estadual paulista. Para que um novo atleta possa disputar o campeonato terá de ter a documentação regularizada até o fim da tarde. O esgotamento do prazo, no entanto, não cessa a busca do São Paulo por um meia porque a avaliação é que um concorrente de Ganso se faz necessário e poderia ser contratado mesmo que só pudesse atuar a partir da Copa do Brasil.
O argumento de dirigentes são-paulinos para justificar a contratação de mais um meia após a saída de Jadson para o Corinthians é o próprio Jadson. O ex-camisa 10 serve de parâmetro porque só conseguiu viver boa fase no São Paulo quando teve Ganso como concorrente. Passou a jogar bem no fim de 2012, quando o ex-santista foi contratado, foi o melhor jogador do São Paulo até o fim do primeiro semestre de 2013 e só decaiu após participar da Copa das Confederações com a seleção brasileira. Quando não teve reserva imediato, não jogou bem e oscilou.
O medo de uma possível acomodação de Ganso se dá por seu início de 2014. O meia não tem encantado como no fim do ano passado, quando foi um dos líderes do São Paulo na recuperação contra o rebaixamento no Brasileirão. Agora, sem Jadson, tem o conforto de não perder a titularidade mesmo se jogar mal. As alternativas para a posição são o argentino Marcelo Cañete, que para Muricy Ramalho é mais ponta do que meia armador, ou o jovem Gabriel Boschilia, de 17 anos, que está longe de ser alternativa para a equipe titular no ideário de diretoria e comissão técnica do São Paulo.
Caso seja contratado um reforço que não possa atuar no Paulistão, depois desta terça-feira, este novo atleta terá a seu lado a companhia do atacante Alexandre Pato, emprestado pelo Corinthians na troca por Jadson, e também impedido de atuar no estadual. Pato jogou cinco jogos do Paulistão pelo Corinthians e ultrapassou o limite permitido de três partidas para que pudesse defender uma segunda camisa na mesma edição do torneio.
Cerca de uma hora antes de o Fluminense afirmar que estavam encerradas as negociações pela troca de Wagner por Osvaldo o São Paulo dizia que mantinha a negociação e esperava um desfecho até terça-feira. A diretoria são-paulina não teria desistido da contratação caso não houvesse tempo de inscrever o meia no Paulistão. O risco era conhecido, e ele seria aproveitado a partir da Copa do Brasil. O São Paulo trabalhava com a hipótese de ter Wagner emprestado por uma temporada e meia, até julho de 2015.
Fonte: Uol

Um comentário em “Mesmo sem Wagner, SP busca meia para ter Ganso longe de conforto

  1. Uma pergunta: Por que o Boschilia não pode ser o substituto para o Ganso?
    Uma outra pergunta: Vai contratar quem, e a que preço, para ficar sentadinho no banco, uma vez que, pelo preço do PHGanso, jamais o deixarão na reserva?
    ainda outra: Para que vale treinar entre os profissionais e, quando aparece a chance de jogar, dizer que não está preparado?
    Mais: Com quantos anos o Pelé, o Maradona, o Pato, o Robinho, o Neimar, o Diego, o Muller, o Careca, foram lançados nos seus times titulares?
    Todos temos visto o Boschilia, bem como o Ewandro, jogar na seleção e na copinha. Se o Murici der “moral” a ele e deixa-lo jogar do jeito que ele sabe, com certeza ele vai produzir muito mais do que qualquer outro contratado para ser reserva de luxo. Isso, inclusive, serveria para seu crescimento e para valorização do profissional do clube. O Ewandro, no pouco que jogou, já mostrou muito melhor serviço do que, por exemplo, o tal do Ademilson, que tem aparecido como titular da equipe há um bom tempo, e que, até agora, não mostrou a que veio.
    O Murici carece um pouco de lucidez, quando se trata de jogadores jovens. É uma pena. Novamente vamos correr o risco de perder bons jogadores por isso. . . .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*