Marketing faz ‘Clube da Fé’ substituir ‘Soberano’ como mantra são-paulino

O São Paulo se proclama um clube da fé, mas sem esquecer que é também um clube de negócios que quer mexer sempre com seus consumidores. Tanto que o mantra “Clube da Fé”, que remete aos primórdios da história tricolor, ressurgiu nos últimos dias não num movimento espontâneo da sua torcida, mas, segundo o UOL Esporte apurou, de uma ideia do departamento de marketing do clube, recentemente assumido pelo executivo Gilberto Ratto.

No lugar do “Soberano” usado para representar o poderio da fase vencedora no fim da década passada, coroada por um tricampeonato brasileiro, a ação do “Clube da Fé” serviu para inspirar time e torcida que se viram nas últimas semanas numa situação tão crítica que, caso não houvesse vitória contra o Atlético-MG, viveriam o maior vexame do São Paulo na Libertadores.

Para mobilizar a torcida em busca da “fé” necessária, o marketing são-paulino usou as redes sociais e os canais oficiais do clube. Antes do jogo contra o Galo, a home page do São Paulo exibia o lema “Eu Vou Com Fé”.

Internamente, a diretoria do clube temia que a campanha “Soberano” pudesse virar um ‘tiro no pé’, já que os rivais, Corinthians e Santos, conquistaram mais títulos importantes nos últimos anos – o primeiro venceu Libertadores e Mundial no ano passado, enquanto o segundo conquistou o torneio sul-americano em 2011. O Palmeiras, rival que está na Série B do Campeonato Brasileiro, também já havia conseguido com antecedência a vaga no mata-mata da competição sul-americana.

A ação para mexer com a torcida não parou no Twitter e no Facebook. Durante o próprio jogo contra o Atlético-MG o placar eletrônico do Morumbi exibia em alguns momentos o novo mantra tricolor.

Capitão e maior ídolo do clube, Rogério Ceni também fez sua parte no processo de mudança. Na entrevista que concedeu na saída do gramado, citou a expressão “Clube da Fé”. Lembrou também de outra ideia que remete à história do clube: “o time em que a moeda cai de pé”. O goleiro tomou ciência da campanha no começo da semana, enquanto se alternava entre treinos e sessões de fisioterapia. Aprovou, e até por isso deu discursos emocionados após a classificação.

Com a adesão à nova campanha, o “Soberano”, que também deu nome a dois filmes do São Paulo, ficará de lado por enquanto, pelo menos até que a equipe conquiste um título importante e volte aos seus melhores momentos. Internamente, o São Paulo trata o “Clube da Fé” como um marketing de oportunidade, devido à boa aceitação dos torcedores.

O São Paulo, que tem o próprio como mascote, baseado, de fato, na fé, começou a ser conhecido com esse rótulo na década de 40, quando Corinthians e Palmeiras dominavam o cenário paulista. Na definição do formato do Campeonato, dirigentes das equipes brincaram e disseram que para saber o campeão, era só fazer cara ou coroa. Frederico Menzen, então presidente do clube tricolor, completou: “E o São Paulo?”. “Só se a moeda cair de pé”, retrucaram. E a moeda teria caído de pé, como disse Rogério Ceni após o triunfo sobre o Atlético.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*