Luis Fabiano retorna para deixar o São Paulo 100%

Uma vitória neste domingo garante ao São Paulo a certeza de que, se chegar na final do Paulistão Chevrolet, irá fazer a decisão no Morumbi. Mas a partida com o Mogi Mirim, no Estádio Romildo Ferreira, às 16h, também tem importância para o único jogador titular que estará em campo.

Luis Fabiano está de volta após 20 dias de tratamento na panturrilha esquerda. Ele não joga desde a derrota para o Corinthians, em 31 de março. Do Reffis, o atacante viu o Tricolor entrar em crise com uma possível eliminação ainda na fase de grupos da Libertadores e acompanhou aos protestos da torcida.

Mas o time, sem ele, deu a volta por cima. Na última quarta-feira, na dramática classificação para as oitavas de final, o Fabuloso não viveu o clima de confiança e euforia porque não se juntou ao grupo no vestiário.

A crise são-paulina passou. Para tudo voltar ao normal, falta o retorno em grande estilo do camisa 9. Assim como ele, outros personagens importantes do clube passaram por momentos de instabilidade nas últimas semanas (veja abaixo), mas deram a volta por cima em campo.

Luis Fabiano tem a chance de iniciar a trajetória de reconquista diante do Sapão. Ainda com mais um jogo de suspensão a cumprir na Libertadores, o Estadual é a única oportunidade que ele tem de jogar. Com oito gols na competição, está quatro atrás de Neymar, principal artilheiro.

Um motivo para acreditar na redenção do Fabuloso é que o início de 2013 é melhor do que o de 2012. Neste ano, ele jogou mais, fez mais gols e se lesionou menos – essa foi a primeira. O número de cartões também é menor, mas a expulsão diante do Arsenal (ARG) custou caro e os quatro jogos de suspensão ainda incomodam o atacante, que não poderá enfrentar o Galo no primeiro jogo do mata-mata, dia 2 de maio, no Morumbi.

Ele atuará ao lado de um time todo reserva e terá Wallyson e Ademilson como companheiros no ataque. O primeiro já deu duas assistências para o camisa 9. Ademilson está com moral após o gol marcado contra o Atlético-MG no meio da semana.

Na última vez que esteve em Mogi Mirim, Luis Fabiano marcou dois gols. Foi no clássico com o Santos, na última rodada do Brasileirão 2011. Hoje, em um jogo que para muitos não vale quase nada, o Fabuloso pode mostrar que está de volta.

Já se redimiram:

1 – Ney Franco:
Semanas atrás, corria o risco de perder o emprego. A diretoria não estava satisfeita com o ambiente no clube. O clima melhorou e o time conseguiu a classificação.
2 – Rogério Ceni:
Apesar de marcar na Bolívia, Rogério falhou. Antes, diante do Corinthians, não teve boa atuação e sentiu lesão no pé direito. Na quarta-feira, fez o gol que abriu o caminho para a vaga.
3 – Lúcio:
No jogo contra o Arsenal, na Argentina, foi substituído e saiu de campo reclamando. Foi para o ônibus mais cedo e deu duras declarações. Ficou no banco, mas voltou aos titulares.
4 – Paulo Henrique Ganso:
Desde o início do ano alternou entre o banco e a titularidade. Ainda não tinha feito um grande jogo até quarta-feira, quando Ceni deixou o campo impressionado com o Maestro.

Os inícios de temporada do Fabuloso até 21 de abril desde o retorno ao clube:

Em 2012:

Jogos: 11
Gols: 11
Cartões amarelos: 4
Cartão vermelho: 0
Lesões: 2

Em 2013:

Jogos: 16
Gols: 12
Cartões amarelos: 2
Cartão vermelho: 1
Lesões: 1

Suspensão no ano passado serve de alerta

Luis Fabiano chega para o jogo de hoje com apenas um cartão amarelo acumulado em toda a campanha da equipe no Paulistão. E o camisa 9 são-paulino deve ficar esperto para não levar outro e correr o risco de uma suspensão na fase final da competição, como ocorreu em 2012.

Na penúltima rodada da primeira fase, Fabuloso, também com um amarelo recebido em todo o torneio, enfrentou (coincidentemente) o Sapão e levou outro cartão. Diante do Linense, na 19 rodada, passou em branco e, nas quartas de final, contra o Bragantino, recebeu o terceiro e ficou fora do clássico com o Santos, na semifinal.

Sem Luis Fabiano, o Tricolor perdeu por 3 a 1 para o Peixe com direito a show do alvinegro Neymar, que marcou os três – Willian José anotou o do clube do Morumbi. Mais tarde, o Santos se sagraria campeão com duas vitórias sobre o Guarani.

No Estadual, as fases finais não zeram cartões, como na Copa Libertadores.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*