Luis Fabiano marca dois e garante São Paulo nas finais do Paulista

O time misto do São Paulo não teve dificuldades para vencer o Paulista de Jundiaí por 2 a 0, no Jayme Cintra, e manter a liderança isolada do Paulistão Chevrolet, agora com 35 pontos – já classificado às quartas de final. Luis Fabiano, que andava cabisbaixo e reclamando do ambiente no clube, marcou – e comemorou – os dois gols. Em um deles, até Rogério Ceni atravessou o gramado para abraçá-lo.

Fabuloso é o artilheiro do time na temporada com 12 gols, sendo oito no Estadual e cinco nas últimas quatro partidas. Pelo clube, ele acumula 168, cinco a menos que Luizinho, o quinto colocado na lista dos maiores goleadores da história tricolor.

O São Paulo estará muito modificado para o compromisso de domingo, contra o Corinthians, no Morumbi. Da equipe que atuou em Jundiaí, apenas Rogério Ceni e Luis Fabiano estão garantidos como titulares. Os demais foram poupados, de olho no Majestoso e no confronto com o The Strongest (BOL), quinta que vem, pela Libertadores.

O Paulista, que soma 18 pontos e segue fora da zona de classificação, joga no sábado, contra o Bragantino, fora de casa.

O JOGO

Embora não tenha feito primeiro tempo magnífico, o São Paulo praticamente não foi ameaçado. A inédita formação ofensiva, com Cañete na armação, Wallyson pela direita e Douglas pela esquerda, teve alguns lampejos. Em um deles, Douglas cruzou da esquerda, Rodolfo Testoni não alcançou e Wallyson matou no peito antes de servir Luis Fabiano, que só empurrou.

O jogo, que já não era muito emocionante, ficou sonolento até o intervalo. Quando o Paulista ameaçou, como no cruzamento venenoso de Kasado e no tiro longo de Chiquinho, Ceni foi seguro e não deu rebote.

O ritmo acelerado reapareceu no início do segundo tempo, quando Fabrício escapou pela direita, recebeu de Wallyson e cruzou na cabeça de Luis Fabiano, que ampliou para 2 a 0 logos aos três minutos.

Novamente, o gol diminuiu a temperatura da partida. Giba tentou dar novo gás aos mandantes com a entrada de Flávio na vaga de Cassiano Bodini, um dos destaques da equipe no torneio, que desta vez não estava inspirado. No São Paulo, Ney Franco lançou o sempre ligado Aloísio no lugar de Cañete, bastante apagado.

Os visitantes ficaram mais perto do terceiro gol do que os mandantes do primeiro. Douglas, insistente nos chutes de longe, deu sustos no goleiro Richard. Aos 31, ele preferiu servir Luis Fabiano, que só não fez mais um porque Lázaro cortou em cima da linha. O Paulista ameaçou apenas uma vez, na cobrança de falta de Rodolfo Testoni, que carimbou a trave de Ceni.

No fim, Ney Franco ainda substituiu Wallyson por Ademilson, que marcou um gol bem anulado pela arbitragem, e Paulo Miranda por João Schmidt.
FICHA TÉCNICA

PAULISTA 0 X 2 SÃO PAULO

Local: Estádio Jayme Cintra, em Jundiaí (SP)
Data/Horário: 27/2/2013, às 22h
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Maiza Teles Paiva
Renda e público: R$ 185.175,00 / 4.770 pagantes
Cartões amarelos: Douglas (SAO)
Cartões vermelhos: –

Gols: Luis Fabiano, aos 26’/1ºT (0-1); Luis Fabiano, aos 3’/2ºT (0-2)

PAULISTA: Richard; Thales (Hudson – 32’/2ºT), Dráusio, Lázaro e Rodolfo Testoni; Kassado, Matheus, Renato Ribeiro e Chiquinho; Cassiano Bodini (Flávio – 10’/2ºT) e Marcelo Macedo (Alfredo – 38’/2ºT). Técnico: Giba.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda (João Schmidt – 43’/2ºT), Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Fabrício e Cañete (Aloísio – 16’/2ºT); Wallyson (Ademilson – 36’/2ºT), Douglas e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*