Juvenal revela desejos: descanso, três reforços e Ceni de técnico

juvenal015

Juvenal Juvêncio já está retirando seus pertences da sala da presidência do São Paulo, no Morumbi. Ele tem seis dias no cargo, até a eleição da próxima quarta-feira, que deve eleger Carlos Miguel Aidar, candidato que apoia contra Kalil Rocha Abdalla. O quadro com a camisa da Seleção que Luis Fabiano usou na vitória sobre o Uruguai, em 2007, por exemplo, não está mais lá. Ele espera agora por outra camisa amarela (cor de sua chapa política), a que Rogério Ceni vestiu em sua homenagem na vitória por 3 a 0 sobre o CSA. Ambas ficarão em sua fazenda, em Santa Rosa de Viterbo, interior paulista.

A sala da fazenda também deverá ser seu camarote no dia 20 de abril, quando o clube vai estrear no Campeonato Brasileiro diante do Botafogo. Após oito anos de uma administração tão personalista a ponto de ter sido considerada centralizadora, Juvenal quer “olhar um pouco de fora”, descansar. Mas não por muito tempo.

O presidente admite que será difícil se afastar completamente. Conselheiro vitalício, ele descarta qualquer possibilidade de assumir um cargo que tenha ligação direta com o futebol profissional na provável gestão de Aidar, que terá início na próxima quinta-feira.  Mas não para de pensar o futebol.

Antes de limpar totalmente sua sala, Juvenal recebeu o GloboEsporte.com e fez confidências importantes: pretende que Rogério Ceni seja técnico do São Paulo muito em breve; quer discutir com a CBF o pagamento pela utilização de jogadores do clube na seleção brasileira, montante que, de acordo com ele, pode chegar a US$ 10 milhões; acha que o time precisa de dois ou três reforços para lutar pelo título do Brasileirão e sugere conversas entre os presidentes dos quatro grandes de São Paulo, além de intervenção mais forte do governo, para tentar evitar que o futebol brasileiro siga “descendo o morro”.

Juvenal, que admitiu ter se emocionado com a homenagem dos jogadores, com máscaras que imitavam seu rosto, a ponto de precisar segurar as lágrimas, só não revelou mesmo sua idade, um mito que circula por todo o clube. Pelas publicações mais gerais, ele teria, hoje, 82 anos.

– Nunca publicaram certo, rapaz. Só aumentam, nunca diminuem. Só querem meu mal (risos).

Durante toda a entrevista, o presidente fez rabiscos em dois pedaços de papel (sua mesa é repleta deles). Desenhou o número de contratações que deseja fazer (ou apenas ver), sua trajetória política, cubos, linhas retas, tortas. Ao final, rasgou em vários pedaços e os jogou no lixo. Como se fosse o fim de um ciclo.

 

Fonte: Globo Esporte

Um comentário em “Juvenal revela desejos: descanso, três reforços e Ceni de técnico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*