Jogadores reprovam momento de desabafo de vice presidente de futebol

Os jogadores escolhidos para a entrevista do São Paulo nesta sexta-feira não esconderam o incômodo com a declaração pública do vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes. Thiago Carleto e Fabrício afirmaram que o momento escolhido pelo dirigente não foi bom, e o volante ainda falou em tempestade em copo d’água.

João Paulo deixou o Morumbi após a vitória de sua equipe por 2 a 1 em cima do The Strongest afirmando que estava envergonhado pela sua atuação. Prontamente, ele recebeu uma resposta de Ney Franco, que não gostou da declaração. O UOL Esporte também já apurou que Juvenal Juvêncio não aprovou o episódio.

Primeiro, foi a vez do lateral esquerdo Thiago Carleto afirmar que o momento escolhido por João Paulo não foi o melhor.

“Eu acho que isso daí é uma opinião do João Paulo, ele tem todo o direito de falar pelos anos que ele têm de São Paulo. Ele tem direito de opinar, assim como o Juvenal. É opinião deles e nós temos que acatar da melhor maneira. Mas o professor Ney Franco tem outra opinião. Claro que foi num momento que não precisava, mas é uma opinião dele.Ele está no clube acima de nós, é dirigente respeitado e acima de tudo, temos que respeitar as coisas. A gente procura respeitar”, disse o jogador que será titular na partida deste domingo, diante do Penapolense.

Depois, foi a vez de Fabrício, outro jogador reserva que será titular no domingo, afirmar que a reação de João Paulo foi exagerada, especialmente pelo jogo apresentar todas as dificuldades de uma partida de Libertadores.

“Logo de primeira essa pergunta? Vocês são f…”, brincou. “Todos têm o direito de falar, de dar a opinião. Às vezes a gente dá uma declaração polêmica porque a emoção toma conta da gente. A gente respeita, a gente entende. Pelo menos sabemos que ele está do nosso lado e só quer um São Paulo vencedor. Muitas vezes saímos com raiva do treinador que não nos colocou para jogar, do jogador que errou, mas não falamos nada, porque sabemos que isso pode gerar um clima ruim. Aí a gente não expõe”, disse ele.

“Estão fazendo uma tempestade em copo d’água, porque é Libertadores. Com todo respeito ao Campeonato Paulista, que é sempre pedreira ir no interior jogar, mas Libertadores é outro nível”, completou.

Em meio aos problemas com os dirigentes, o São Paulo vai a Penápolis para enfrentar os donos da casa em jogo marcado para 18h30. O time escalado por Ney Franco não terá nenhum titular: Denis; João Filipe (Lucas Farias), Edson Silva, Rhodolfo e Carleto; Maicon, Fabrício, Rodrigo Caio e Ganso; Ademílson e Cañete.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*