Jeito “bom menino” de Pato dobra capitão às vésperas da estreia

O fato de chegar cedo ao CT da Barra Funda e respeitar fielmente a programação a ele imposta pelo São Paulo fez com que Alexandre Pato ganhasse o respeito de Rogério Ceni. Pelo que o atacante tem mostrado em quase um mês de treinamentos, os atritos em campo com o goleiro, na época de Corinthians, ficaram para trás.

“Está treinando bem, é muito bom menino, não reclama de nada, faz o trabalho até em dois períodos como não vem jogando”, disse o capitão, no domingo, após a vitória por 3 a 2 justamente sobre a antiga equipe do agora companheiro,.

Conterrâneos de Pato Branco, cidade do interior paranaense, eles tiveram o primeiro atrito em março de 2013, por conta de uma dividida que machucou o goleiro e resultou em pênalti para o Corinthians. No clássico seguinte, o atacante levou a melhor também na disputa de pênaltis, classificou a equipe que então defendia para a final do Campeonato Paulista e tirou sarro do adversário.

Quando revelada a negociação com o São Paulo (em troca que levou o meia Jadson para o Corinthians), Ceni prometeu, ainda que sem muita empolgação, receber bem o reforço. E o goleiro não só cumpriu a promessa como tem deixado o atacante bem à vontade no dia a dia. Os dois, inclusive, jogam no mesmo time e trocam tabelas no rachão de véspera das partidas.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Atacante teve atrito com o goleiro quando ainda defendia o Corinthians, mas já caiu no gosto de Rogério Ceni

Pato já disputou seis rachões à espera da sua estreia. Impossibilitado de atuar no Campeonato Paulista por ter ultrapassado o limite de jogos para defender outra equipe, ele vem treinando desde 11 de fevereiro e fará sua primeira partida com a camisa tricolor na quarta-feira, diante do CSA, em Maceió, pela abertura da Copa do Brasil.

 

“Acho que ele está descansado, pronto para entrar. Vai ter toda calma, tranquilidade e o apoio de todos os companheiros, do torcedor são-paulino para ir bem”, disse Ceni, que certamente terá sua companhia na escalação dos 11 iniciais, conforme antecipou – e voltou a repetir, no domingo – Muricy Ramalho, mesmo sem saber ainda quem vai sacar para a estreia do ex-corintiano.

“Na hora, eu dou um jeito, porque ele precisa jogar. Até porque só tem esse jogo”, justificou. “Quem sair do time volta no fim de semana (contra o Ituano, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista). E eles estão entendendo isso. O cara que sair é para dar lugar a um cara que caiu bem também no que diz respeito a ambiente. Chega cedo, treina muito. A gente tá torcendo para que dê certo”, falou o treinador, também convencido do jeito “bom menino” do atleta.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*