Jadson busca opções para ser titular, mas alto valor repele interessados

O meia Jadson foi contratado pelo São Paulo no início de 2012 em operação avaliada em 7 milhões de euros (R$ 16 milhões, na época), demorou para render o esperado, viveu seu grande momento no primeiro semestre deste ano, mas viu as oportunidades na equipe titular acabarem após a chegada do técnico Muricy Ramalho e a ascensão do concorrente Paulo Henrique Ganso. Agora reserva, o camisa 10 procura opções em outros clubes para voltar a ser titular, mas encontra dificuldades para deixar o Morumbi por conta do próprio valor.

O São Paulo traça o planejamento de 2014 com Jadson no elenco, e isso se torna um entrave para que o meia deixe o clube. Os dirigentes são-paulinos trabalham com a avaliação de 4 milhões de euros (R$ 12,4 milhões) para o jogador neste momento. Apesar dos 30 anos de idade, o consideram valorizado pela participação recente na seleção brasileira.

Por isso, hoje tanto o jogador como o São Paulo avaliam como mais provável uma saída para fora do país, caso o jogador de fato deixe o clube na janela de transferências de fim de ano. A análise é que não há clube no Brasil disposto a investir tão alto no mercado interno.

Jadson, no entanto, quer jogar mais. Ele voltou ao Brasil para ser visto e tornar-se opção para a seleção, e conseguiu. No primeiro semestre, foi o melhor jogador do São Paulo e conquistou a convocação de Luiz Felipe Scolari. Como reserva, fez parte da campanha que terminou no título da Copa das Confederações.

A diretoria do São Paulo se encanta com Paulo Henrique Ganso e não briga para que Muricy encontre um lugar para Jadson no time. Aceitou as constatações de que é mais difícil armar a equipe com os dois meias lado a lado – Ney Franco, Paulo Autuori e até Muricy tentaram, sem sucesso. No entanto, os dirigentes são-paulinos não querem se desfazer do jogador, porque o consideram bastante acima da média e querem tê-lo como opção para formar um elenco forte em 2014.

Quando contratado pelo São Paulo, Jadson era um dos protagonistas do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, no qual jogou durante sete anos e se tornou um dos ídolos históricos, com direito a marca na calçada da fama do clube. O São Paulo pagou 4 milhões de euros e cedeu 30% dos direitos econômicos do volante Wellington, que hoje também convive com a reserva.

Para a posição, o São Paulo ainda conta com o jovem Lucas Evangelista, de 18 anos, e o argentino Marcelo Cañete, que voltou de empréstimo da Portuguesa, recupera-se de lesão e pode até ganhar chances durante o Paulistão de 2014 – ele, no entanto, é visto como uma incógnita.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*