Irregularidade do São Paulo preocupa Leão, que enche a bola do Coritiba

Uma derrota para o Internacional, por 1 a 0, quarta-feira passada, no Beira-Rio, e uma vitória, também por 1 a 0, sobre o time reserva do Santos, domingo passado, no Morumbi. Esse é o desempenho do São Paulo nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, após paralisação para amistosos da Seleção. E, a três dias do primeiro duelo contra o Coritiba, quinta-feira, às 21h, primeira semifinal da Copa do Brasil, no Morumbi, a irregularidade demonstrada pela equipe preocupa o técnico Emerson Leão. Até a parada no campeonato nacional, o time vinha crescendo.
Leão reconhece que o Coritiba será um adversário muito difícil de ser batido, principalmente porque terá a vantagem de disputar o segundo jogo em casa: a volta está marcada para o estádio Couto Pereira, no próximo dia 20. Mesmo assim, o treinador tricolor confia que sua equipe vai crescer no momento da decisão.
– Cada jogo tem sua história e agora serão 180 minutos de um duelo que certamente será muito disputado. Assisti ao jogo do Coritiba contra o Flamengo e posso dizer que eles não mereciam a derrota, tiveram bom desempenho. Será o adversário mais difícil do que qualquer outro. Mas não tenho dúvida de que vamos crescer e mostrar mais do que estamos fazendo nos últimos jogos – afirmou.
Como o primeiro jogo que será apenas na quinta-feira, Leão terá três treinos para preparar a equipe. Uma coisa é certa: Casemiro, que estava na seleção brasileira, tem presença garantida no meio-campo. Com isso, o esquema 4-3-3, que não se mostrou eficaz nos últimos dois jogos, deverá ser abolido para o retorno do 4-4-2, com Denilson, Casemiro, Cícero e Jadson na segunda linha de quatro.
Luis Fabiano, que não atuou contra o Santos, domingo passado, por estar suspenso, é outro que retornará. Leão, na entrevista coletiva que concedeu logo após o clássico, já deixou claro: não vai tolerar outro deslize do atacante, que foi advertido três vezes por reclamação nas três primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro.
– Eu não gosto de violentar nenhum atleta profissionalmente. Acho que ele deve falar, deve se expressar, mas tem limite, principalmente conhecendo os árbitros brasileiros. O atleta precisa ser inteligente e profissional e quero isso de todos, não apenas do Fabiano – finalizou.
Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*