Entre vaias da torcida e broncas de Muricy, Douglas reage e se firma

douglas009

Douglas muitas vezes precisa se fazer de surdo para não surtar no São Paulo. Não bastassem as vaias e as críticas vindas das arquibancadas, o lateral-direito tem de conviver com as broncas do técnico Muricy Ramalho durante as partidas. E vem dando certo. Entre altos e baixos, o jogador superou Luis Ricardo e recuperou a a vaga de titular na equipe nesta temporada.

Muricy não economiza nos berros na beirada do campo. Douglas, que costumeiramente é quem fica próximo ao comandante, sofre. São pedidos para marcar, posicionar, tocar, atacar…contra o XV de Piracicaba, os gritos foram tantos que o tímido lateral não aguentou e desceu para os vestiários batendo boca com o treinador. Sem crise.

– Quem conhece o Muricy sabe a forma que ele trabalha. Nós procuramos respeitar da melhor maneira possível. Ele só quer tirar o nosso melhor. Às vezes, briga conosco, mas pelo nosso melhor – disse.

Douglas precisa se concentrar também para não se abalar com o comportamento dos torcedores. Em dia de jogos no Morumbi, assim que ele é anunciado pelo sistema de som, as vaias aparecem. Pior, a principal organizada ligada ao Tricolor pula o nome dele ao cantar a escalação, comportamento idêntico ao que tinha com Richarlyson.

O temperamento bastante calmo ajuda o jogador a se sustentar. Nada parece abalá-lo ou motivá-lo em demasia. Luis Ricardo foi contratado da Portuguesa para ser o dono da posição, mas acabou no banco. Douglas, entre erros e acertos, ganhou a confiança de Muricy e a vaga. Falta agora ter o respeito dos tricolores.

– Quem trabalha quer ver a torcida apoiando e gritando seu nome. Infelizmente, não tive um bom início, não foi o que eu esperava. Mas confio no meu trabalho, sei que posso reverter. Estou fazendo boas partidas, os resultados estão vindo e creio que isso vai melhorar no decorrer do tempo – afirmou.

Fonte: Globo Esporte

Um comentário em “Entre vaias da torcida e broncas de Muricy, Douglas reage e se firma

  1. Não dá para chamar de animais, pois nem mesmo os animais são capazes de tamanha discriminação, por um ser semelhante!
    Não frequento estádios e não sabia da agressão sofrida pelo Douglas, que vê seus companheiros terem seus nomes cantados, e nunca o seu. Não sei das outras pessoas, mas eu nunca poderia imaginar maior agressão; maior desprezo. Se eu fosse negro e tivesse meu nome associado à de algum animal, por causa da cor, ainda assim me seria menos agressivo do que ver, sistematicamente, tamanho desprezo por parte de “torcedores”. Não acho o Douglas um grande jogador, mas ele não é o pior no time. Outros, melhor remunerados e badalados, muitas vezes tem contribuído menos para a equipe do que ele. É assim que: contratam esse ou aquele; mudam-se esquemas; na lateral, na ala ou na ponta direita, lá está ele entrando como titular independentemente do nome do treinador de ocasião.
    Meus sentimentos e minha solidariedade ao Douglas. Eu tenho certeza que ele tem caráter e personalidade para ser superior à essa m****, que fazem com ele, pois, apesar de tudo, seu futebol vem crescendo com o resto do time.
    Espero, ao menos, que seus companheiros se solidarizem com ele e não usem essa aberração para “curtirem” em brincadeiras maldosas com ele. Deve ser muito doído. . .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*