Diretor respalda, mas Ney Franco diz: “Tranquilidade é classificar”

A liderança da primeira fase do Campeonato Paulista conquistada com duas rodadas de antecedência não é suficiente para tranqüilizar o técnico Ney Franco à frente do São Paulo. Campeão da Sul-americana de 2012, o treinador depositou suas fichas na Copa Libertadores, mas viu o time somar apenas quatro pontos em cinco partidas, dependendo de uma vitória e uma combinação de resultados na última rodada da fase de grupos para avançar.

Antes de a bola rolar para a partida deste sábado, contra o XV de Piracicaba, o vice-presidente de futebol tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, garantiu que a ideia da diretoria é manter Ney Franco mesmo em caso de eliminação precoce na Libertadores – clube brasileiro com mais participações, 16 ao todo, o São Paulo só caiu na fase de grupos nos anos de 1978, 1982 e 1987, condição que não dá tanta confiança ao treinador.

“Tranquilidade é a classificação”, rebateu o treinador, quando questionado sobre as declarações comedidas do dirigente. “Não me sinto pressionado. Quer dizer, é em um nível normal, como qualquer treinador perto de um jogo decisivo, que tem sua responsabilidade”, disse Ney Franco, comandante do São Paulo nos 25 jogos da temporada, com 15 vitórias, três empates e sete derrotas – diante de Bolívar, Atlético-MG, Arsenal e The Strongest, na Libertadores, Santos, Corinthians e XV de Piracicaba, no Paulistão.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Para que sua caminhada não resulte em um abismo, o São Paulo joga nesta quarta para buscar classificação na Libertadores

Para não temer a demissão com menos de um ano de trabalho à frente do São Paulo, Ney Franco já sabe o que esperar dos jogadores no Morumbi: “Envolvimento em tudo. Nas vezes em que tropeçamos, não faltou isso de ir em cada bola. Às vezes é normal cair o rendimento técnico, mas na quarta-feira é isso, disputar cada bola, ter um índice maior de acertos do que erros, ter todo mundo bem na parte técnica e tática para que possamos fazer um bom jogo e conseguir a vitória”.

 

“O Atlético-MG é a melhor equipe do futebol sul-americano, mas temos jogadores de qualidade, com condições de vencer. O outro resultado não depende da gente, então temos que buscar nosso objetivo”, sintetizou o treinador, também na torcida por um triunfo do Arsenal de Sarandí contra o concorrente Strongest.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*