Diretor não acredita na liberação de Luis Fabiano contra Strongest

A diretoria do São Paulo está pessimista na tentativa de liberar o atacante Luis Fabiano para o jogo contra o Strongest, na quinta-feira, pela Copa Libertadores da América. O vice-presidente de futebol tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, não acredita na hipótese de receber a resposta da Conmebol nos próximos dias.

“Acho muito difícil (a liberação antes de quinta), não estou apostando nisso. O mais provável é que essa decisão saia mais para frente. Temos a informação de que o recurso será apreciado durante a próxima semana, mas não temos nenhuma garantia de que a decisão saia rapidamente”, afirmou o dirigente, no saguão do estádio do Morumbi, na tarde de domingo.

Luis Fabiano foi suspenso por quatro jogos pelo Tribunal de Disciplina da Conmebol devido à expulsão já depois do apito final do árbitro Wilmar Roldán, no confronto contra o Arsenal de Sarandí. Um dos jogos já foi cumprido de forma automática no encontro seguinte contra os próprios argentinos, mas o São Paulo entrou com recurso para liberar seu atacante dos outros três confrontos.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Luis Fabiano foi contido por Ney Franco e pelos jogadores do São Paulo depois do clássico

Enquanto a diretoria se preocupa com o futuro de seu principal artilheiro no torneio continental, as atitudes de Luis Fabiano continuam preocupando a comissão técnica. No clássico contra o Corinthians, o atacante voltou a se revoltar depois do apito final e partiu para reclamar com o árbitro Leandro Bizzio Marinho.

Ao observar o risco que o atacante corria mais uma vez, o técnico Ney Franco se dirigiu ao gramado para tirar o atleta da confusão, contando com a ajuda de outros jogadores do Tricolor, evitando um novo cartão vermelho (já são 12 pelo atleta no clube).

“Normalmente, não gosto de ir próximo à arbitragem para não parecer que estou transferindo a responsabilidade. Mas, hoje (domingo), quando percebi (o protesto de Luis Fabiano), fiz questão de ir para lá. O jogador tem de dominar isso. Era uma reclamação em relação ao tempo de acréscimo, mas cheguei rápido e retirei o Luis, para não ter problema”, explicou o treinador.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*