Desfalcados, Tricolor e Peixe miram redenção antes de semifinais

Divididos entre as semifinais da Copa do Brasil e da Libertadores, respectivamente, São Paulo e Santos medem forças neste domingo, às 18h30 (de Brasília), no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro. Mas, além dos objetivos paralelos que dividem a atenção dos rivais, os dois times entram em campo desfalcados de seus principais jogadores. E precisam melhorar suas campanhas.

Além de Lucas, Casemiro e Bruno Uvini, que seguem na Seleção Brasileira, e Rogério Ceni, Wellington e Cañete, ainda em recuperação de cirurgia, o Tricolor continua sem contar com Fabrício, que mantém sua busca por melhor condicionamento físico, e também Luis Fabiano, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. E Rhodolfo é dúvida por tratar de edema na panturrilha esquerda.

Do lado santista, Muricy Ramalho perdeu Rafael e Neymar para a Seleção. Além deles, Juan, que está emprestado ao São Paulo e, por questões contratuais, não poderá estar em campo no clássico. No departamento médico, a lista liderada por Paulo Henrique Ganso, que se recupera de artroscopia no joelho direito, ainda inclui Arouca, Borges, Fucile, Dimba, Crystian, Rafael Galhardo, David Braz, Bernardo e Pedro Castro.

Diante da ausência de tantas peças importantes, o técnico do Peixe lamentou que um clássico tão importante no Brasileirão seja disputado nessas condições. “Vai ser esvaziado, assim como o jogo contra o Fluminense na última quarta-feira. O Brasileiro só vai ganhar emoção quando a Libertadores e a Copa do Brasil chegarem ao fim. Sem Lucas, Casemiro, Ganso, Neymar, é complicado dar atrativo ao torcedor. O clássico acaba sendo mais importante pela história e o peso da camisa de ambos os clubes.”

 

Pela dificuldade na armação do Santos, o treinador chegou a cogitar, de forma bem-humorada, um “W.O.” E arrancou risos de Emerson Leão. “Seria ótimo, aconselho-o a fazer isso”, brincou o comandante do Tricolor. “Nossa necessidade é única e exclusivamente respeitar o adversário e correr pela vitória, independentemente do que posso escalar ou não”, completou, até deixando de lado o primeiro confronto das semifinais pela Copa do Brasil, na quinta-feira, contra o Coritiba noMorumbi.

Na formação para o San-São, a indefinição é com Rhodolfo – se o titular não atuar, Edson Silva será escalado. Existe ainda um mistério em relação à tática: Leão não anunciou se manterá Osvaldo e Fernandinho no ataque com Willian José, substituto de Luis Fabiano, ou trocará um dos pontas por Maicon para retomar o 4-4-2.

A esperança é por nova postura para o time se recuperar da derrota para o Inter e buscar sua segunda vitória no torneio. “Clássico é detalhe, 50% para cada lado. Quem errar menos, leva. Espero que sejamos nós”, disse Cícero. “É um clássico. Todos querem jogar um clássico. Espero que estejamos preparados, focados para conseguirmos a vitória”, torceu Osvaldo.

Também com muitos problemas para montar o time, Muricy Ramalho tem dúvidas. Sem Juan, o jovem Paulo Henrique pode aparecer na ala esquerda. A outra possibilidade é a volta do experiente Léo para a lateral, abrindo espaço para uma vaga no meio-campo que seria disputada por Éwerthon Páscoa, Felipe Anderson e Gérson Magrão. Nesta hipótese, o segundo teria mais chances de ser titular.

 

Já o volante Henrique, que diante do Corinthians, na primeira semifinal da Libertadores na quarta-feira, na Vila Belmiro, deve voltar a ser escalado na lateral direita – o uruguaio Fucile ainda não reúne condições de atuar –, deixa os imprevistos de lado e quer ver o Santos conquistando a sua primeira vitória no campeonato nacional.

“É complicado, vários fatores estão sendo decisivos para esse início (de Brasileirão) conturbado. Claro que não gostamos de ter empatado essas duas partidas em casa (Sport e Fluminense). O Brasileiro é sempre muito importante. Esperamos melhorar para vencer o clássico deste domingo. Vamos com tudo. Vencer sempre dá mais confiança e motivação para o grupo, ainda mais tão perto de uma semifinal da Copa Libertadores”, comentou Henrique.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X SANTOS

 

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo
Data: 10 de junho de 2012, domingo
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP)
Assistentes: Herman Brumel Vani e João Nobre Chaves (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Marcelo Aparecido de Souza e Antonio Rogério Batista do Prado (ambos de SP)

SÃO PAULO: Denis; Douglas, Paulo Miranda, Edson Silva (Rhodolfo) e Cortez; Denilson, Cícero e Jadson; Osvaldo (Maicon), Fernandinho (Maicon) e Willian José
Técnico: Emerson Leão

SANTOS: Aranha; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Paulo Henrique (Léo); Adriano, Henrique, Elano, Léo (Felipe Anderson, Éwerthon Páscoa ou Gérson Magrão) e Alan Kardec; Renteria
Técnico: Muricy Ramalho

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*