Copinha começa sem boicote ao São Paulo e com time de patrocinador

Com a presença confirmada dos grandes clubes entre os 104 participantes, a Copa São Paulo de Futebol Júnior começa nesta sexta-feira. O primeiro dia terá seis jogos, entre eles as estreias de Flamengo, Vasco da Gama e do São Paulo.

O tricolor paulista foi alvo de uma polêmica antes do torneio começar. Um racha entre os clubes começou no segundo semestre deste ano. Irritados com um suposto aliciamento do São Paulo a jogadores das categorias de base de clubes rivais, times como Corinthians, Palmeiras, Santos, Ponte Preta, Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo e Vitória, entre outros, ameaçaram não disputar o torneio caso o clube tricolor permanecesse inscrito.

A briga só acabou quando o São Paulo se comprometeu junto à Federação Paulista a não retirar jogadores menores de 16 anos das bases dos clubes rivais. O clube oficializou a promessa em carta enviada à entidade.

O rival do São Paulo na estreia, na Arena Barueri, é o Kashiwa Reysol, único clube estrangeiro nesta edição do torneio. A participação dos japoneses foi um pedido do patrocinador do torneio, a multinacional Hitachi, que fechou acordo com a Federação Paulista para ter o naming-rights da competição.

Os valores do contrato não foram divulgados pela entidade. O Kashiwa Reysol é patrocinado desde a sua criação, na década de 90, pela empresa japonesa.

Atual campeão, o Santos está no grupo V e estreia no dia 5 de janeiro, contra o Alecrim-RN, na Vila Belmiro. Na mesma data, o Corinthians encara o Tuna Luso, em Limeira.

A atual edição da Copa São Paulo terá 26 sedes. A final do torneio acontece no dia 25 de janeiro, data de aniversário da capital paulista, no estádio Pacaembu.
Maior vencedor de Copas São Paulo, oito títulos, o Corinthians relacionou o atacante colombiano Brayan Riascos, 19 anos, que chegou ao clube por indicação de Freddy Rincon. Talvez o participante mais “famoso” do torneio seja o santista Neílton. O atacante, apontado como substituto de Neymar no clube já disputou partidas pelo profissional, mas está confirmado no torneio de base. A ascensão e a queda de Neílton em 2013 foram meteóricas. Ele fez bons jogos no principal, mas caiu de produção e foi afastado depois de divergências contratuais.

Fonte: Uol

Um comentário em “Copinha começa sem boicote ao São Paulo e com time de patrocinador

  1. ???? Porque esses mesmos clubes que queriam o boicote ao nosso tricolor,
    nao fazem o mesmo com o fluviramesa, no caso do tapetao fc ????
    E claro que nao vao mesmo fazer, ai ta tudo certinho, nao tem nada de errado.
    Putzzzzzz, esse futebol e do mesmo tamanho que tudo aqui.
    Uma vergonha. Danem-se, tudo farinha do mesmo saco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*