Conmebol veta, mas FPF diz acreditar em semifinal da Ponte em Campinas

A FPF (Federação Paulista de Futebol) confirmou o recebimento de um ofício da Conmebol no qual a entidade veta a realização do segundo jogo da semifinal da Copa Sul-Americana, entre Ponte Preta e São Paulo, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, por causa da regra que exige capacidade mínima de 20 mil pessoas na competição. Apesar de atestar que a capacidade do estádio é de 18.900 pessoas, a federação ainda acredita na possibilidade de reversão dessa decisão.

Em contato com o UOL Esporte, o responsável pelo Departamento de Competições da FPF, Coronel Isidro Suíta, disse que a Ponte Preta já providenciou um levantamento com um engenheiro do Crea (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) para comprovar que o Moisés Lucarelli pode receber mais do que 20 mil pessoas.

“Como o primeiro jogo é no Morumbi, acredito que até o segundo jogo esta situação será resolvida. Acredito que até quarta-feira, dia 20, esse problema será resolvido. O Crea já liberou para a Ponte Preta 20 mil lugares, eles estão fazendo uma remarcação de tudo lá, vão pelo menos deixar tudo pronto”, disse Suíta. “Se tiver tudo providenciado e aprovado pelo Ministério Público o jogo vai ser lá em Campinas”, garantiu.

Segundo Suíta, o entrave para a realização do jogo é o questionamento feito pelo São Paulo à Conmebol. “Eu acredito que vai até ser o jogo lá em Campinas, porque os laudos da Ponte Preta estão todos aprovados. Foi o São Paulo que questionou porque a Conmebol quer um estádio a mais de 20 mil lugares, só isso”, disse.

O presidente da Ponte Preta, Marcio Della Volpe, disse que o clube não recebeu nenhum ofício da Conmebol por causa do feriado da Proclamação da República, comemorado na última sexta-feira em todo o país. Ao ser informado que a FPF recebeu a confirmação do veto do Moisés Lucarelli, o dirigente afirmou que o clube vai tentar reverter a situação.

“Nós vamos tentar ainda em Campinas, vamos deixar tudo pronto para o Romildão (em Mogi Mirim), mas vamos tentar para o Majestoso. Estamos ainda a 12 dias do segundo jogo e os ingressos só serão vendidos três dias antes do jogo, ou seja na outra segunda-feira, dia 26”, disse Volpe.

O dirigente disse que a Ponte Preta não vai contestar mais os laudos do Corpo de Bombeiros que indicavam capacidade máxima de 18.900 pessoas. “Não adianta a gente querer mudar nada, o Corpo de Bombeiros não vai aceitar, a Policia Militar também não. Porque se acontecer alguma coisa eles serão responsabilizados. O que a gente vai tentar provar é que o Majestoso tem a capacidade que a Conmebol quer acima de 20 mil lugares, porém por questão de segurança a policia limita o numero de 18.900”, afirmou o presidente do clube.

A ideia é alegar para a Conmebol que o regulamento exige dos estádios a capacidade de 20 mil lugares, e que o Moisés Lucarelli comporta até 23 mil. Os laudos seriam indicações de números que a PM e os Bombeiros acreditam ser os melhores para a segurança dos eventos.

“A Ponte Preta vai se basear na questão da segurança, pois capacidade o estádio tem acima de 20 mil lugares, eu tenho plano para atender 20 mil lugares, porém a Policia pede para reduzir. Então por uma questão de segurança a Ponte Preta será punida? Vou ser prejudicado? Isso é um absurdo, o Majestoso já recebeu 37, 28 mil lugares”, concluiu.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*