Conmebol não cede, e Ponte Preta inicia busca por novo estádio

A Ponte Preta terá mesmo de procurar outro estádio para receber o jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana, contra o São Paulo, dia 27 de novembro. O clube campineiro informou nesta segunda-feira que a Conmebol atendeu ao pedido do time da capital e vetou o Moisés Lucarelli para o confronto, já que, de acordo com a entidade, o local não tem capacidade mínima para 20 mil pessoas.

“Estamos avaliando junto à Federação Paulista de Futebol quais outros estádios têm de maneira inquestionável não só a capacidade como também a liberação para 20 mil pessoas e então definiremos onde será”, disse o presidente Márcio Della Volpe, que disparou contra a atitude de o São Paulo questionar o Moisés Lucarelli para o jogo da semifinal.

“Se o São Paulo não tivesse questionado, o jogo seria aqui normalmente. É lamentável que um tricampeão mundial tenha chegado a este ponto: uma atitude mesquinha, picuinha. Em vez de se preocupar com futebol, está se preocupando com capacidade de estádio, alegando que aqui é maltratado. Ninguém ganha com isso. Nosso estádio já estava preparado e aqui a Polícia garante a segurança em grandes eventos, tem o ‘know how’ para isso. É uma tristeza também para a cidade de Campinas, que poderia receber uma semifinal de Sul Americana e foi cerceada desse direito”, acrescentou.

Della Volpe conta ainda que o São Paulo chegou a produzir um dossiê contrário ao estádio Moisés Lucarelli: “São mais ou menos 100 páginas detonando o Majestoso, o que é no mínimo curioso, sabendo que eles jogaram aqui no Paulista e no Brasileiro sem nunca apontar um problema, sendo que Deportivo e Vélez jogaram aqui e o delegado da Sul-Americana elogiou muito o Moisés Lucarelli, as condições, o tratamento”.

O presidente rechaça as alegações de “falta de segurança” utilizadas pelo São Paulo e diz mudar a mudança de local irá aumentar os riscos de confusão.

“Agora sim a insegurança está instalada: vamos colocar 20 mil torcedores na estrada e vai ser aquela complicação, pois nossa torcida estará raivosa por não jogar em casa Infelizmente isso tem sido comum na vida do São Paulo. Eles brigam tanto com outros times que parecem gostar disso”, acrescentou Della Volpe.

Uma das opções da Ponte Preta é mandar o jogo no estádio Romildão, em Mogi Mirim. Porém, de acordo com o mandatário alvinegro, o São Paulo já estaria disposto a questionar o local mais uma vez.

“Queremos agora que a própria FPF e a CBF oficializem de maneira clara a capacidade do estádio que iremos escolher, pois chegou até nós a informação de que o time da capital já estaria questionando a capacidade do estádio do Mogi, que é uma das opções, demonstrando mais uma vez sua clara intenção de prejudicar o adversário fora do gramado “, completou.

O jogo de ida entre Ponte Preta e São Paulo acontece nesta quarta-feira, dia 20, no estádio do Morumbi.

 

Fone: Uol

4 comentários em “Conmebol não cede, e Ponte Preta inicia busca por novo estádio

  1. No primeiro turno do brasileiro,
    nossos torcedores foram impedidos de entrar no Lucareli,
    simplesmente, sem mais nem menos.
    No segundo turno entraram no Morumbi,
    nao deveriam ter entrado.
    Agora, vem com essas, nao concordo muito com a posicao do Sao Paulo,
    mas se tem um regulamento, que se jogue com ele.
    Parceiro do TRIMMUNDIAL e ele mesmo.

  2. Consta expressamente no regulamento da competição (Copa Sul Americana) que a capacidade do estádio deverá ser de no mínimo 20 mil lugares? Então não é o São Paulo que evita o jogo naquele estádio, o que na verdade impede a realização é o regulamento da Conmebol. O Tricolor apenas deve ter comunicado o fato à entidade. Agora, se outros clubes não o fizeram, problema deles! Afinal, “o direito não socorre quem dorme!!!”

  3. Ué, quando é o São Paulo que reclama é picuinha, liderar boicote contra o São Paulo por causa do goleiro da base deles que foi embora do clube para jogar em Cotia, ai defender seus direitos.
    Interessante essa visão de direitos de cada um…

Deixe uma resposta para GZM Bauru Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*