Com Muricy do início ao fim, Ceni iguala Pelé em primeira semi com a Ponte

Rogério Ceni entrará em campo nesta quarta-feira, às 21h50, para se colocar na disputa daquele que poderá ser o último troféu que levantará na carreira e para igualar o recorde de Pelé pelo Santos, como o jogador que mais vezes vestiu a camisa de um clube no Brasil – marca que tem tudo para ficar no São Paulo. Serão 1116 partidas do goleiro pelo clube a partir do apito inicial desta quarta-feira, e a chance de um último título, dependendo da decisão no fim do ano. Do primeiro ao possível último triunfo, Ceni teve a seu lado a companhia de Muricy Ramalho.

O jogo de número 1 no São Paulo não teve palestra de Muricy Ramalho. Ceni estreou sob o comando de Márcio Araújo, então auxiliar de Telê Santana, em jogo contra o Tenerife, na Espanha, em amistoso pelo Troféu Santiago de Compostela. O primeiro título e o primeiro gol, no entanto, aconteceram ao lado de Muricy.

Se Muricy Ramalho não foi um amigo tão próximo de Ceni como Paulo Autuori, certamente foi quem mais teve influência positiva em sua carreira, e quem mais contribuiu para que o goleiro conquistasse sua marca registrada. Foi Muricy o primeiro a autorizar Ceni a cobrar faltas, após observá-lo durante os treinamentos. Em fevereiro de 1997, Ceni marcou o primeiro, na primeira tentativa. No último dia 13, com menos cabelos, Ceni marcou seu 113º gol e abriu caminho para a vitória do São Paulo sobre o Flamengo, por 2 a 0. No banco, encontrou o mesmo Muricy.

Três anos antes de balançar as redes pela primeira vez, Ceni já havia conquistado o primeiro título como titular ao lado do atual treinador são-paulino. Foi na Copa Conmebol, em 1994. Muricy era auxiliar de Telê Santana e comandava a equipe que ficou conhecida como Expressinho, montada com jogadores jovens e que não eram titulares da equipe bicampeã mundial.

Agora, aos 40 anos, Ceni poderá comemorar aquele que poderá ser seu último grande recorde no Morumbi. Nesta quarta, ele iguala Pelé, mas poderá ultrapassar o Rei já no domingo, contra o Botafogo, em casa, em jogo pelo Brasileirão.

A Copa Sul-Americana será a última chance para Ceni conquistar um título dependendo da decisão que o goleiro tomar no fim deste ano. No meio do ano, ele já havia decidido pela aposentadoria ao término da temporada, mas reconsiderou a parada após a crise são-paulina e a recuperação após o retorno de Muricy.

O treinador ainda foi o primeiro a começar campanha pública para que Rogério Ceni não se aposentasse e adiasse a parada para 2014. Muricy Ramalho tem feito elogios constantes ao desempenho de Ceni debaixo das traves e diz que o São Paulo não conseguirá peça de reposição à altura.

A campanha de Muricy foi rapidamente comprada pela diretoria são-paulina, que diz que espera o goleiro para renovar. Alguns dirigentes dizem ter “100% de certeza” que o capitão permanecerá, mas nem Ceni sabe qual será a decisão.

A partida desta quarta-feira representa a primeira metade do confronto pela semifinal da Sul-Americana. A segunda parte acontecerá no Romildão, em Mogi Mirim, após o São Paulo ter conseguido vetar a atuação da Ponte Preta no Moisés Lucarelli, em Campinas, pelo fato de o estádio adversário não contemplar capacidade mínima para 20 mil pessoas, exigida das oitavas às semifinais no regulamento da Conmebol.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X PONTE PRETA

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data e horário: 20 de novembro de 2013, às 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Diego Abal (ARG)
Auxiliares: Hernan Maidana (ARG) e Juan Belatti (ARG)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Reinaldo; Denilson e Maicon; Douglas, Paulo Henrique Ganso e Ademilson; Aloísio (Luis Fabiano). Técnico: Muricy Ramalho.

PONTE PRETA: Roberto, Artur, Ferron, Diego Sacoman e Uendel; Baraka, Fernando Bob, Fellipe Bastos e Elias; Rildo e Leonardo. Técnico: Jorginho.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*