Ceni fica à disposição, mas é dúvida e pode não fazer história no Maracanã

O goleiro Rogério Ceni atingiu 1115 jogos pelo São Paulo na última quarta-feira e igualará Pelé na próxima partida que fizer pelo São Paulo, como o jogador que mais vezes atuou por um time no Brasil, com 1116 partidas. A marca, no entanto, poderá não acontecer no próximo domingo, em jogo contra o Fluminense, pois o goleiro não está confirmado para a partida.

Nesta quinta-feira, Ceni se colocou à disposição do técnico Muricy Ramalho durante o treino no CT da Barra Funda, um dia após da vitória sobre o Flamengo, por 2 a 0, pelo Brasileirão. O goleiro falou que não vê problemas para jogar, mas sabe que poderá ficar fora da equipe porque o treinador pretende poupar todos os atletas que atuaram como titulares na quarta-feira, e cogita a escalação do reserva Denis.

Muricy Ramalho já falou e reafirmou que errou ao escalar os titulares na partida contra o Atlético-PR, no fim de semana passado, na Vila Capanema, pelo Brasileirão – o São Paulo perdeu por 3 a 0. Contra o Flamengo, o treinador reutilizou os titulares para poder dar folga exatamente no próximo domingo, contra o Fluminense, três dias antes do primeiro jogo da semifinal da Copa Sul-Americana, contra a Ponte Preta.

Caso Rogério Ceni seja poupado, existirá a chance de comemorar não só a superação da marca de Pelé, mas também o empate, no Morumbi, frente aos torcedores são-paulinos. Na quarta-feira, contra a Ponte, ele completará 1116 partidas pelo clube se Denis for o titular contra o Flu. Na sequência, no dia 24 (domingo), enfrentaria o Botafogo e alcançaria 1117 partidas, marca que daria ao goleiro o recorde de jogador brasileiro que mais vezes atuou por uma equipe.

No Maracanã, Ceni poderia fazer história ao superar Pelé, que teve um dos momentos mais notáveis de sua carreira no próprio estádio. Em 19 de novembro de 1969, Pelé marcou de pênalti, sobre o goleiro Andrada, seu milésimo gol da carreira. O Rei foi carregado pelos atletas e o jogo foi paralisado durante cerca de 15 minutos depois que as redes foram balançadas.

Aos 40 anos, Rogério Ceni repensa a aposentadoria no fim desta temporada, hipótese com a qual ele trabalhava desde o início de ano e para qual se preparou. Após o desânimo com a má fase do São Paulo e com a luta contra o rebaixamento, o capitão se anima com a recuperação proporcionada pelo trabalho de Muricy Ramalho e com a possibilidade de jogar pela última vez a Copa Libertadores, caso o clube conquiste a vaga pela Copa Sul-Americana ou até mesmo pelo Brasileirão.

Nas próximas semanas o goleiro dará a resposta à direção do São Paulo sobre o que pretende fazer. O clube preparava festa de despedida, amistosos internacionais e outras ações para a despedida do goleiro, mas pode ter de deixar tudo para 2014.

O técnico Muricy Ramalho foi o primeiro a fazer campanha pública para que Ceni adiasse a aposentadoria. O treinador faz elogios constantes ao capitão, diz que o São Paulo não terá reposição à altura caso Ceni pare e pede para que ele seja analisado apenas pelo desempenho debaixo das traves.

Independentemente da aposentadoria, Ceni já mostrou à diretoria que quer o reserva Denis como seu sucessor natural, e falou que o clube não precisará contratar um jogador da posição com mais experiência.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*