Bate-boca marca audiência sobre Morumbi e Juvenal promete mudar estatuto

O salão de festas do Morumbi recebeu no início da tarde deste sábado uma audiência para conselheiros, sócios e torcedores tirarem dúvidas a respeito da obra para cobertura do estádio do São Paulo. O evento começou às 12h e durou quase três horas. Por diversas vezes, a chance de esclarecer detalhes ficou de lado para discussão política entre oposição e situação, que gerou acalorados bate-bocas.

Em dezembro do ano passado houve uma reunião no conselho para aprovar o projeto de cobertura do Morumbi. No entanto, como era necessária a presença de 75% dos conselheiros, sequer houve a votação porque muitos membros da oposição alegaram desconhecer detalhes do contrato e não entraram na reunião.

Ciente da grande possibilidade de isso acontecer novamente, o presidente Juvenal Juvêncio faz um aviso:

– Ou eles aprovam isso, ou nós vamos mudar o estatuto. Vamos reformar o estatuto brevemente e isso será decidido pela maioria. Não é complicada (a mudança do estatuto), vamos fazer isso rapidamente. Mas vamos dar o espaço para que eles decidam sobre votação (da cobertura). Se falarem que não querem por picuinhas, eu vou lá e reformo o estatuto sim. E aprovo (a cobertura).

Três meses antes das eleições presidenciais, o evento teve cara de disputa política. Conselheiros e sócios favoráveis a Carlos Miguel Aidar, candidato de Juvenal, foram vestidos com camisas amarelas. Os membros da oposição, que terá Kalil Rocha Abdalla como candidato, estavam de vermelho. A grande maioria era de pessoas ligadas à situação.

José Francisco Manssur, assessor da presidência e principal responsável pelo projeto de cobertura, fez uma introdução e depois abriu para perguntas. A grande maioria das indagações foram feitas por membros da oposição, que questionavam principalmente as garantias e os custos que o São Paulo teria com a obra.

A explicação, como já havia sido divulgada anteriormente, é de que o Tricolor não terá custo algum com a obra. Toda a verba (cerca de R$ 460 milhões) será investida por parceiros, que vão recuperar o investimento tendo direito à exploração da arena multiuso por 20 anos, além do edifício garagem que será construído. Segundo Manssur, foram feitos seguros que garantem total segurança ao clube em caso de alguma empresa não cumpra o que está previsto no contrato.

Além de Manssur, o presidente Juvenal Juvêncio, Roberto Natel (vice-presidente social), José Carlos Ferreira Alves (presidente do conselho), Leonardo Serafim (diretor jurídico), Osvaldo Vieira de Abreu (diretor financeiro) e Julio Casares (vice de comunicações e marketing) também estavam à disposição para responder aos questionamentos.

Quando membros de uma determinada chapa se alongavam no discurso e deixavam de falar sobre o projeto para fazer campanha política, os representantes do outro candidato começavam a protestar. Isso aconteceu diversas vezes, atrasou os esclarecimentos e esquentou os ânimos.

De forma discreta, Aidar marcou presença e assistiu ao evento. Kalil não compareceu.

Em fevereiro está prevista uma nova reunião no conselho para votar o projeto. Foram criadas duas comissões, uma da situação e outra da oposição, para análise do contrato, que poderá ser feita até o dia 31 de janeiro.

Fonte: Lance

Um comentário em “Bate-boca marca audiência sobre Morumbi e Juvenal promete mudar estatuto

  1. Politica, politica, nao interessa,
    mas nosso MORUMBI tem que se adequar aos padroes atuais,
    porem, o principal é o time de futebol,
    sempre buscando o seu lugar entre os primeiros
    dando alegria a seus torcedores,
    que deveriam tambem ter um desconto especial
    nesse paulistinha sem sal e apimentado,
    TIPO UNS 80% DE DESCONTO E AINDA E KARO,
    AÍ SIM A DIRETORIA ESTARIA JOGANDO DO NOSSO LADO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*