Atrasado, SP terá maior dificuldade para contratar sem Libertadores

A avaliação é de agentes de jogadores que atuam no mercado brasileiro: o São Paulo terá mais dificuldade para contratar neste fim de ano sem a possibilidade de jogar a Copa Libertadores em 2014. Atrasado no mercado, como repete Muricy Ramalho em todas as entrevistas, o clube intensifica as conversas sobre o planejamento, mas terá de convencer novos reforços sem o argumento de atuar na principal competição continental.

O argumento dos empresários é que a diretoria do São Paulo perde poder de convencimento sem a Libertadores. A competição é vista pelos atletas como vitrine para o futebol europeu e para a seleção brasileira, e como oportunidade de valorização. Obviamente, atende também às ambições profissionais dos que desejam disputa-la.

Sem a vaga na Libertadores, o primeiro semestre do São Paulo será desgastante. O clube disputará o Paulistão, a primeira fase da Copa do Brasil e o início do Brasileirão. Em cerca de 40 jogos antes da pausa para a disputa da Copa do Mundo, a equipe deverá disputar no máximo dez partidas contra adversários do mesmo patamar, em alto nível. Os jogos serão, na maioria das vezes, de menor apelo, contra times de calibre inferior.

O São Paulo é visto no mercado como bom pagador. Oferece salários gordos a jogadores que são contratados de outros clubes, apesar de ter um teto salarial inferior a clubes como Fluminense, Grêmio, Atlético-MG e Corinthians. Mesmo assim, a avaliação de quem atua no mercado e trabalha como intermediário nas negociações aponta para um novo obstáculo em relação a clubes como Atlético-MG, Flamengo e Cruzeiro, que vivem boa fase e jogarão a Libertadores às vésperas da Copa do Mundo.

O único atleta que está acertado com o São Paulo para 2014 é Luis Ricardo, da Portuguesa, que custará R$ 2 milhões. O jogador de 29 anos foi contratado para ocupar a vaga na lateral direita e ainda oferece opções para atuar como ponta ou ala direito, em um possível esquema com três zagueiros.

Além dele, o São Paulo coloca como prioridade as contratações de um volante, um centroavante e pelo menos mais um jogador que possa jogar pelas pontas do setor ofensivo. O clube consultou o diretor-executivo do Vasco, Ricardo Gomes, sobre a possibilidade de contratar Marlone, mas vê o negócio como improvável por conta do acerto encaminhado com o Cruzeiro. Para o setor defensivo do meio de campo o objetivo é Jucilei, do Anzhi Makhachkala. Como o clube russo recentemente rejeitou oferta do Newcastle de 6 milhões de euros (R$ 18,6 milhões), a diretoria são-paulina já sabe que a negociação será nesse patamar. Souza, do Grêmio, é alternativa para o setor.

Apesar de ter ficado sem a vaga na Libertadores, o São Paulo não trata a queda na Copa Sul-Americana como um fracasso. Muricy Ramalho argumenta que há dois meses a luta era contra o rebaixamento, e falava-se em deixar de lado o torneio internacional. O técnico diz que não há motivos para comemorar este fim de temporada, mas afirma que o fracasso da competição não é razão para lamentações.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*