Após Seleção, Osvaldo assume mais responsabilidades no São Paulo

O atacante Osvaldo, do São Paulo, que substituiu Neymar e participou do último gol da vitória da seleção brasileira sobre a Bolívia, por 4 a 0, no último sábado, em Santa Cruz de La Sierra, começa uma nova etapa em sua carreira profissional.

Convocado pela segunda vez pelo técnico Luis Felipe Scolari, o são-paulino se diz pronto para liderar e levar o time do Morumbi às oitavas de final da Libertadores. O Tricolor, que não poderá contar com Luís Fabiano e Jadson, suspensos, precisa vencer o Atlético Mineiro e ainda torcer por uma vitória do Arsenal sobre o Strongest para seguir na competição sul-americana. Caso bolivianos e argentinos empatem, o Tricolor precisará vencer o Galo por dois gols para não depender de sorteio, já que empataria em todos os critérios com a equipe de La Paz.

– Sei da minha importância para o time, que a minha responsabilidade vai aumentar por causa das ausências do Luís Fabiano do Jádson, e estou pronto para assumir isso. Vou tentar as jogadas, deixar a minha alma em campo, como sempre faço – declarou o atacante, que deve voltar ao time contra o União Barbarense nesta quarta-feira, em partida remarcada pelo estadual.

Para Osvaldo, os confrontos que antecedem a decisão contra o Galo – antes, o São Paulo enfrenta ainda o XV de Piracicaba, sábado, no Morumbi – servirão de preparação para a equipe. Líder do Paulistão com 38 pontos, quatro a mais do que a vice Ponte Preta, o time comandado pelo técnico Ney Franco pode garantir a melhor campanha da primeira fase com duas rodadas de antecedência.

– Pedimos um voto de confiança para o torcedor, que acredite e lote o Morumbi porque esse mesmo time já mostrou que pode conseguir seus objetivos. Não estamos tendo muita sorte na Libertadores, mas tenho fé que isso vai mudar – disse Osvaldo.

Seleção brasileira

Foram pouco mais de 45 minutos em campo com a camisa da seleção brasileira em Santa Cruz de la Sierra. Tempo suficiente para marcar a carreira do atacante são-paulino, que completa 26 anos nesta quinta-feira.

– Foi uma das maiores alegrias da minha vida ter vestido a camisa do Brasil. O que faço no São Paulo foi o que me levou até a Seleção, então procurei manter o meu estilo de jogo, ir para cima sempre que possível e usar da melhor forma a minha velocidade – comentou.

Ao substituir Neymar, Osvaldo se movimentou pelos lados do campo e deu assistência para seu companheiro de ataque Leandro marcar o quarto gol contra a Bolívia. O camisa 17 tricolor admite que não foi a estreia dos sonhos, mas comemorou sua atuação e espera por novas convocações de Felipão.

– Na minha estreia ideal eu teria marcado. Infelizmente o goleiro adversário não deixou, mas fiquei feliz por ter participado do último gol. Espero ter agrado o Felipão e mostrado que tenho condições de ser útil ao time. Agora que senti o gostinho de vestir a camisa do Brasil, não quero mais sair – finalizou Osvaldo.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*