Após ‘genialidades’ de Ganso, Ceni cita Raí para elogiar o camisa 10

rogerio074vpc

Depois de entrar durante a vitória de 3 a 1 desta quarta-feira, contra o XV de Piracicaba, e dar dois passes perfeitos para Luis Fabiano, Ganso voltou a ser o assunto da vez no São Paulo. Na saída de campo, o capitão Rogério Ceni foi perguntado sobre o jogador e, como de costume, não poupou elogios. Ceni chegou a citar Raí, um dos maiores ídolos da história do clube, para falar da técnica apurada do atual camisa 10.

– Não foi barrar, foi uma alternativa que o treinador encontra. O treinador tem o direito de escolher. Depois de Raí no Morumbi com a 10, difícil você encontrar alguém com essa categoria (do Ganso). Claro que ninguém é perfeito, cada um tem seus defeitos. Mas o Muricy quer que o Ganso jogue e o Ganso com certeza quer jogar – afirmou Ceni, minimizando a opção de Muricy de deixar o jogador no banco nos últimos jogos.

– O Muricy adora o Ganso, já trabalharam juntos. Todo mundo quer ver o Ganso jogando sempre, o Muricy quer ver o Ganso como titular. Mas às vezes ele opta por um ou outro. Mas tenho certeza de que o Ganso vai ser titular em 90% dos jogos – completou o capitão.

Luis Fabiano falou em genialidade do meia nas assistências.

– Hoje fomos inteligentes, conseguimos virar com tranquilidade. Em uma genialidade do Ganso, que foi feliz e me achou – disse.

Apesar dos elogios, Ganso preferiu seu modesto ao comentar sua atuação. Ele foi questionado se teria decidido a partida.

– Não, não! Foi todo mundo, eu não jogo sozinho – afirmou.

Ganso ficou no banco contra o Santos, domingo, e contra o XV. Muricy ficou incomodado com as últimas atuações do meia e preferiu montar um time mais dinâmico. O treinador, no entanto, deixa claro que o jogador pode voltar ao time.

Fonte: Lance

2 comentários em “Após ‘genialidades’ de Ganso, Ceni cita Raí para elogiar o camisa 10

  1. Santo Deus!
    O homem virou gênio porque tocou duas bolas para o LF.
    Queria ver se fosse num clássico ele teria feito a mesma coisa. Quem assistiu o jogo viu como ele estava completamente desmarcado na entrada da área e a facilidade que foi tocar um passe de 4 ou 5 metros (aliás o segundo foi quase que uma repetição do primeiro).
    É isso que mata os jogadores brasileiros: para a imprensa esportiva, jogador de “nome”, basta dar um passe para gol e logo já volta o endeusamento. Até eu com 60 anos seria capaz de meter aquelas bolas. Melhor seria esperar vê-lo jogar contra o Corinthians, por exemplo, e repetir bons passes como esses, para aí sim, festejar a volta de seu futebol. Que o RC e LF o elogiem, é natural; são companheiros de reveses; agora, a imprensa, poderia ser mais isenta. O tal do Cafu, do XV, fez jogadas mais interessantes e ninguém se lembrou de dizer que ele é craque . . . .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*