Após 20 anos, Rogério Ceni e o São Paulo voltam a Avellaneda

O São Paulo entra em campo nesta quinta-feira, contra o Arsenal (ARG), às 21h30, no Estádio Julio Grondona, com a obrigação de vencer. No entanto, para cumprir o objetivo, o Tricolor terá de quebrar o tabu de jamais ter ganhado em Avellaneda, município no qual está o rival desta quinta. Na última vez que esteve no local, Rogério Ceni assistiu do banco de reservas ao empate por 1 a 1 contra o Independiente. Agora, ele luta para não encerrar de forma prematura sua última Libertadores.

Em 1993, Rogério Ceni era o reserva de Zetti na Supercopa da Libertadores, acabara de estrear pelo São Paulo e nunca havia cobrado uma falta. Agora, 20 anos depois, ele é o maior ídolo da história do clube e joga a última temporada de uma carreira com diversos títulos, mais de mil jogos, e uma centena de gols.

A favor do São Paulo, há a própria carreira de Rogério Ceni, construída à base de recordes atingidos e quebras de tabus. Antes dele, nunca outro goleiro havia marcado tantos gols no esporte, e pouquíssimos haviam defendido por tantas vezes uma mesma camisa. Além das metas pessoais atingidas, o goleiro coleciona títulos, como a própria Libertadores e o Mundial de 2005, e os três troféus seguidos do Brasileirão.

Na história, são cinco jogos do São Paulo em Avellaneda, com três derrotas e dois empates, quando os rivais foram Independiente e Racing.

O jogo ganhou caráter de decisão após o empate em 1 a 1 na semana passada, contra o mesmo adversário, no Pacaembu. Ciente disso, o técnico Ney Franco reconhece que o São Paulo precisará ter uma apresentação melhor para conseguir sair de Sarandí vencedor.

– Acho que vai ser jogo muito forte, difícil, jogou no Brasil muito bem, muito forte defensivamente, jogadores interessantes. Da nossa parte, sei que temos que jogar muito pra conseguir vencer essa partida – disse.

O breve alívio veio por conta do Atlético-MG, que venceu o The Strongest (BOL) por 2 a 1 na noite desta quarta-feira, e amenizou a possibilidade de o São Paulo ser ultrapassado nesta rodada. Se o Tricolor não vencer, porém, restarão os confrontos contra os bolivianos na altitude de La Paz, e diante do próprio Galo no Morumbi. Dois dos jogos mais difíceis nesta fase.

Confrontos em Avellaneda

Independiente 1×1 São Paulo
13/10/1993 – A última vez que o Tricolor esteve em Avellaneda foi há quase 20 anos. Pela Supercopa da Libertadores, empate com gol marcado pelo atacante Valdeir.

Independiente 2×0 São Paulo
16/10/1974 – Outra vez contra o principal clube da região, derrota na final da Libertadores. O Tricolor havia vencido o primeiro jogo no Morumbi e após a derrota em Avellaneda foi para a decisão na terceira partida, que aconteceu em Santiago (CHI), onde acabou derrotado novamente.

Independiente 2×0 São Paulo
4/5/1972 – Dois anos antes, outro confronto em Avellaneda válido pela Libertadores. O São Paulo é derrotado pelo time da casa com gols de Magan e Mircoli, um em cada tempo.

Racing 4×1 São Paulo
20/2/1967 – Em amistoso internacional, goleada sofrida no Estádio Presidente Juan Domingo Perón.

Racing 2×2 São Paulo
25/6/1961 – Na primeira vez em Avellaneda, o Tricolor disputou um amistoso e empatou atuando no Estádio Presidente Juan Domingo Perón. Um dos gols do time foi marcado por Canhoteiro.
Fonte: Lance

Um comentário em “Após 20 anos, Rogério Ceni e o São Paulo voltam a Avellaneda

  1. Vamos torcer para não prevalecer este retrospecto, pois se acontecer
    estamos fora da libertadores.
    Pelo que eu assisti ontem de The Strongest X Atletico, não vamos ganhar la na
    Bolivia não, pra ganhar la tem que jogar muita bola e jogando essa bolinha o São Paulo
    não da pra ganhar não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*