Álvaro Pereira inspira escritor e ganha personagem infantil

Apresentado pelo São Paulo na quinta-feira, Álvaro Pereira é bem conhecido do torcedor uruguaio e sua história de vida virou um livro infantil, lançado no ano passado.

“El Álbum de Palito” narra a trajetória de um garoto magro que chega até a Copa do Mundo, marca um gol e a partir daí remonta as dificuldades encaradas por ele até a chegada no Mundial. Em 2010, Álvaro marcou contra o time anfitrião e participou da campanha que levou a Celeste até o quarto lugar no torneio na África. Além do físico, o apelido se deve também ao irmão que quando criança tentava chamá-lo de “Alvito”, porém falava palito.

A ideia de escrever um livro voltado para as crianças nasceu com o editor Manuel Soriano e Agustín Lucas, jogador e amigo de Pereira que também se arrisca como escritor.

Os dois levaram a sugestão ao lateral-esquerdo. Durante a primeira conversa o jogador da seleção do Uruguai se mostrou surpreso.

– Álvaro é uma pessoa tímida, reservada. Quando conversamos sobre a ideia ele não soube imaginar como seria um livro para as crianças com suas histórias de vida. Depois que viu os desenhos gostou bastante do trabalho – disse Manuel, ao LANCE!net.

Em uma das passagens, Álvaro Pereira é um colecionador de figurinhas que troca com seus amigos as repetidas da Copa do Mundo de 1990, disputada na Itália, e 20 anos depois se vê fazendo parte do álbum. Curiosamente, as duas seleções uruguaias foram treinadas por Óscar Tabárez. Ele também comandou Álvaro na conquista da Copa América, em 2011, e continua no comando da seleção uruguaia.

A vida de Palito ganha novo capítulo a partir de agora e, no São Paulo, o garoto tem a oportunidade de seguir a carreira vitoriosa para escrever novas histórias, desta vez com gols e feitos no Morumbi.

Cachê doado para fundação

Álvaro Pereira abriu mão do dinheiro dos direitos autorais e o cachê, a pedido do jogador, foi para a Fundação Celeste, criada por atletas que defenderam a seleção do Uruguai na Copa de 2010, dentre eles o próprio lateral-equerdo.

Depois da classificação contra Gana, nas quartas-de-final, alguns jogadores decidiram doar parte da premiação para que a iniciativa fosse criada. O principal objetivo dos uruguaios é usar o esporte, mais precisamente o futebol, como forma de educação para crianças e jovens.

Além de Pereira, o zagueiro ex-são-paulino Diego Lugano e o volante Sebastián Eguren, do Palmeiras, fazem parte dos fundadores do projeto.

Bate-Bola
Manuel Soriano
Editor que idealizou o projeto sobre o livro de Pereira, ao LANCE!Net

L!net: Como surgiu a ideia do livro?
Surgiu em conversa com Agustín Lucas, que também é jogador e escritor. Ele é amigo do Álvaro e atualmente joga na Segunda Divisão da Argentina. Agustín contou histórias do Palito quando era pequeno, como quando saía com o pai aos sete, oito anos e corria sem parar. Nunca se cansava. Aproveitamos isso para criar o personagem.

L!net: Quanto tempo demorou da criação até o projeto final?
Seis meses. O que demora mais são as ilustrações (feitas por Federico Murro). Precisava selecionar as histórias e passar para o papel, tudo em forma de desenho.

L!net: Ele não quis o cachê?
Pediu para que os valores fossem revertidos para a Fundação Celeste, criada pelos próprios jogadores.

L!net: Quando o livro foi lançado?
Em julho do ano passado. Aproveitamos o bom momento vivido pela Celeste na Copa do Mundo da África do Sul e também na Copa América, quando ganhamos (em 2011). Depois, a nossa seleção passou por momentos complicados para conseguir a classificação para o Mundial que acontecerá no Brasil, mas felizmente deu tudo certo.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*