Aidar garante gestão sem interferência direta de Juvenal em 2014

Nome escolhido por Juvenal Juvêncio para sucedê-lo na presidência do São Paulo, Carlos Miguel Aidar garante que terá independência total caso vença a oposição e assuma o comando do clube, em abril do ano que vem. Mesmo sendo, neste momento, dependente da coordenação política do atual mandatário.

“O regime é presidencialista. A última palavra, a palavra final, é sempre do presidente”, diz o candidato da situação, com ressalva. “É óbvio que, nessa ideia de compartilhar decisões, vou procurar conversar com todos. Se o Juvenal estiver disposto e quiser colaborar, vai ser muito bem-vindo, sem a menor dúvida”.

Hoje em dia, Juvenal é mais forte politicamente do que Aidar dentro do clube. Mas foi Aidar quem lançou o atual presidente à política são-paulina, em 1984, ao nomeá-lo diretor de futebol quando iniciou sua primeira gestão – em abril, ele tentará o terceiro mandato, depois de ter dirigido o São Paulo de 1984 a 1988, com uma reeleição.

“A coordenação política da minha campanha agora é dele. A força política dele é muito grande. Ele tem um conhecimento de São Paulo que ninguém tem”, reconhece o presidenciável, que ainda tem se mantido relativamente distante das decisões do futebol, conforme publicou a GE.net, na semana passada.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Juvenal garante que o candidato da situação já tem sido ouvido desde já sobre o planejamento para o ano que vem

Embora tenha participado da reunião que definiu a troca de Paulo Autuori por Muricy Ramalho, Aidar não tem sido consultado para o planejamento da próxima temporada. Não apenas em função da característica centralizadora de Juvenal (o qual comanda o clube desde 2006), mas porque, ele julgava não ser correto se meter ainda nas tratativas sobre reforços.

 

Na segunda-feira, porém, durante o lançamento de sua candidatura, Juvenal negou que esteja distante de seu possível sucessor. “Aqueles que gostam de uma noticiazinha aqui e acolá, mal posta, não se iludam. Conversamos sobre tudo, sobre contratações, sobre dispensas, sobre contratos. Nossas definições passam previamente pelo aval dele. E assim será, inclusive, na reformulação do time”, jurou.

A única contratação certa para 2014 é a de Luis Ricardo, lateral de 30 anos que se apresentará em janeiro, depois de defender a Portuguesa até o final do Campeonato Brasileiro. Outra decisão importante para a próxima temporada é quanto à permanência ou não de Rogério Ceni. Aidar, no entanto, diz não ter informações sobre o tema, enquanto Juvenal contraditoriamente se gaba de ser o único a supostamente saber o que pensa o goleiro.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Aidar garante gestão sem interferência direta de Juvenal em 2014

  1. Espero que esse traste cachaceiro corintiano fique longe do spfc, pois sua gestão foi ridícula, medíocre e nefasta, fora que era pra ter ficado apenas 4 anos e d eu um golpe para ficar 8 detonando a história do clube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*