Abatido, Ceni diz: ‘Eu, como capitão, me sinto culpado nas derrotas’

Com os olhos marejados, o goleiro Rogério Ceni deixou o vestiário em que estava fazendo o exame anti-doping. Por conta disso, foi o último são-paulino a deixar o estádio. Chateado com a derrota de 2 a 1 para o The Strongest (BOL), nesta quinta-feira, em La Paz, pela quinta rodada do Grupo 3 da Copa Libertadores, o arqueiro ressaltou o sentimento pós-partida.

– Me sinto culpado todos os dias, porque o capitão tem obrigação de fazer o time vencer. Eu, como capitão, pelo tempo em que estou no clube, eu me sinto muito culpado nas derrotas e muito feliz com a participação nas conquistas. Dezembro estava feliz, hoje estou triste. Me orgulho muito de ter estado aqui, não me orgulho do resultado. Como eu falo para vocês, não acabou. Eu encaro como a última oportunidade (jogo contra o Galo), enquanto não jogar não vejo iminência de sair, e sim possibilidade de entrar – declarou o goleiro.

Ceni também descartou que tenha falhado no segundo gol do The Strongest (BOL). No lance, o meia Cristaldo arriscou um chute da intermediária e o goleiro não conseguiu espalmá-la para fora.

– (A altitude) Não traiu. A bola foi batida, balançou bastante. É lógico que ganha mais velocidade, fica mais difícil, mas é do jogo – afirmou.

Agora, o goleiro prevê o foco diante do Atlético-MG. Em situação complicada no torneio continental, o Tricolor precisa de uma vitória e conta com uma combinação de resultados para avançar na competição.

– O que fica é a chance de ganhar do Atlético-MG em casa, e temos que fazer nossa parte, vencer o jogo no Morumbi contra o Atlético-MG, que vem muito bem, mas nós temos condições de vencer e o ter um bom resultado do Arsenal que é possivel também – completou.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*