Copos personalizados

Copos personalizados: ideia boa e de fácil execução

Quem frequentou o Morumbi nos últimos seis meses se deparou com copos personalizados à venda pelos anéis das arquibancadas, camarotes e outros setores do estádio. Com o preço de R$ 10,00, o torcedor pode levar para casa uma lembrança palpável do momento que esteve no santuário Tricolor.

Além dos copos temáticos dos jogos em vigor, o clube investe em copos que remetem a títulos memoráveis. Um deles faz alusão ao final entre São Paulo e Barcelona, pelo Mundial de Clubes de 1992. O registro é sensacional, ainda porque na época pouca coisa foi comercializada.

Até onde sei o São Paulo não pretende fazer copos com os seus ídolos, pois teria que negociar participação e royalties com os ex-atletas ou suas respectivas famílias e representantes. Os copos são resistentes e permitem aos colecionadores uma gama praticamente infinita de unidades.

A ideia é boa e de fácil execução, o que faz estranhar por que não tinha sido implementada há mais tempo pelo clube. É um objeto colecionável, de valor viável e de rápida vazão.

 

 

***O publicitário e jornalista Daniel Perrone passou pelo portal SPNet e do blog do São Paulo no Globoesporte.com até fundar seu próprio espaço: o São Paulo Sempre. É autor do Livro “TRI Mundial” (licenciado pelo SPFC), diplomado no Curso de Gestão do Clubes em 2007 (ESPN), professor de comunicação digital na Instituto Europeo di Design e palestrante da Social Media Week (SP). Frequenta o Morumbi desde os 04 anos de idade e também costuma acompanhar o clube em jogos fora do Morumbi, sua segunda casa.

3 comentários em “Copos personalizados

  1. É só um grão de areia dentro do universo que o marketing do SPFC pode explorar, o problema é que o marketing do SPFC ou inexiste ou é totalmente inoperante.

  2. Esse é mais um exemplo de boas iniciativas para aumentar a receita do Tricolor. Muitas outras fontes de renda podem ser desenvolvidas, ampliadas ou otimizadas para aumentar nosso poder financeiro. Enquanto isso os defensores da criação de uma S.A. para separar o futebol do Clube partem do argumento que chegamos ao limite de arrecadação no atual modelo de gestão da entidade.

  3. Bom para o clube e bom para o torcedor!
    Tenho o copo vendido durante o jogo do Ceni, e ficou de recordação junto com porta retrato do jogo com toda a família!

Deixe uma resposta para Flavio Marques Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*